24 dezembro, 2012

Festival Passagem d'Ano - Em Coimbra, A Dançar!

Como já é habitual, a Tradballs organiza este ano mais um FESTIVAL PASSAGEM D'ANO [Festival de Música e Dança Tradicional], que se realizará nos próximos dias 28, 29, 30 e 31 de Dezembro, no Centro Norton de Matos, em Coimbra. O programa e demais informações úteis: Festival Passagem d'Ano 2012-2013 Programa do Festival Sexta, 28 Dezembro 22H00: URTIGA (Portugal) 24H00: Duo SKELLER (Inglaterra) Sábado, 29 Dezembro Workshops 14H30: Dança: Portugueas | Diana Azevedo - Salão 15H00: Dança: Italianas | Erika - Sala 1 15H30: Música: Flauta Pastoril | Carlos Abrunheiro - Sala 2 16H00: Dança: Europeias I | Rute Mar - Salão 19H00: Relax: Taças Tibetanas | Tânia Faísca - Sala 1 17H30: Duo OIO (Portugal) 22H00: GIRASOL (Portugal) 24H00: Duo BOTASSO-GEOFFROY (Itália-França) Domingo, 30 Dezembro Workshops 14H30: Dança: Europeias II | Eva Parmenter - Salão 15H00: Dança: Americanas | Hilde Van Hemelricjk - Sala 1 15H30: Música: Ensemble | Laurent Geoffroy - Sala 2 16H00: Dança: Galegas | Sérgio Cobos - Salão 19H00: Relax: Yöga | Tânia Faísca - Sala 1 17H30: Duo FOGO DO AR (Portugal) 22H00: Duo BOTASSO-GEOFFROY (Itália-França) 24H00: MALA HERVA (Galiza) Segunda, 31 Dezembro Workshops 14H30: Dança: Inglesas | Helena Reynolds - Salão 15H00: Dança: Pares | Anatole Lorne - Sala 1 15H30: Música: Ensemble | Martina Quiere Bailar - Sala 2 16H00: Dança: Toscas | Matias - Salão 17H30: Duo SKELLER (Inglaterra) 22H00: MOSCA TOSCA (Portugal) 24H30: MARTINA QUIERE BAILAR (Espanha; na foto) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Org: Tradballs Apoio: Rodobalho + Centro Norton de Matos Mais informações: www.tradballs.pt http://www.facebook.com/tradballs www.facebook.com/events/303519233057494/

03 dezembro, 2012

Etnias 2012... E Desta Vez com Ollin Kan Incorporado!

É de festejar! A décima edição do Etnias decorre no Porto nos dias 13, 14 e 15 de Dezembro e apresenta uma parceria inédita com o Festival Ollin Kan (aquele que nasceu no México mas teve várias extensões no nosso país nos últimos anos). Desta vez, o Etnias começa na sua casa-mãe, o Contagiarte, dia 13, com concertos de Rodrik, Curasom e Re-Timbrar e uma sessão de DJ do nosso querido Osga, para mais uma Noite Folk. Dia 14, o Etnias salta para a Casa da Música, e em parceria com o Ollin Kan, para a apresentação de concertos do brasileiro Kristoff Silva, dos espanhóis Zoobazar (na foto) e dos Mu, acabando a noite no Contagiarte com uma sessão de DJ de, pois, António Pires. E encerra no dia 15, no Contagiarte, com espectáculos de Adducantur, Lugares da Pele e Slap Hand To Hand e uma sessão de DJ de Goldenlocks. Neste último dia, o Contagiarte faz anos e aqui vão, desde já, os Parabéns antecipados! O comunicado oficial: «ETNIAS / OLLIN KAN 2012 13, 14 e 15 de Dezembro Parceria Contagiarte e Bartilotti Produções Locais de apresentação espaço Contagiarte e Casa da Música Apresentação da parceria Olin Kan / Etnias Nas suas 5ª edição – Ollin Kan – e 10ª edição – Etnias – os festivais juntam- se numa parceria que fortifica ambos, sublinhando a sua missão, cruzando os seus públicos e enriquecendo os conteúdos programáticos. Juntos, queremos marcar a diferença! O Festival de Músicas do Mundo Etnias celebra os sons inspirados nos cinco continentes e promove a harmonia e o entendimento entre culturas. Ritmos diversificados de instrumentos musicais oriundos de culturas espalhadas pelo mundo, fundem-se, e propiciam um encantamento e fervilhar emocionante que se traduzem em alegria e festa. Uma comemoração à diversidade cultural. O Festival Internacional das Culturas em Resistência Ollin Kan é uma aproximação a um outro olhar, aquele que resistiu e defendeu as suas heranças e alternativas culturais, sendo um dos festivais mais importantes do mundo. O Festival Ollin Kan é assim um encontro vigoroso entre os povos que nos brindam com músicas e danças provenientes de todos os continentes. PROGRAMA DIA 13, QUINTA-FEIRA, espaço Contagiarte ABERTURA do Etnias / Ollin Kan 22h00 RODRIK Mal ouvi o som de um didgeridoo e tive a oportunidade de o experimentar, senti uma enorme ligação ao instrumento. Desde então, liguei-me ao movimento de músicos de didgeridoo existente em Barcelona e, experientes, comecei a tocar didgeridoo de uma forma mais regular e disciplinada, participando em encontros, jam sessions, festivais e concertos. Descobri no didgeridoo exteriorizando através dele toda a minha musicalidade interior e misturando-a com variados estilos musicais. Durante este período de pesquisa e descoberta participei em oficinas com os mais influentes e referenciados artistas contemporâneos do dodgeridoo, provenientes de diversas partes do mundo. Também fiz uma longa viagem pela Europa, tendo como principal referência a música de didgeridoo. Tive a oportunidade de tocar em bares, clubes e festivais, sempre á procura de novas com a ajuda de músicos mais uma poderosa forma de expressão, meditação e relaxamento, fusões musicais, tendo tocado com variadíssimos músicos, de música country, jazz, funk, étnica, ritmos tribais, africanos, sul-americanos, folk e até música electrónica. Esta experiência fortaleceu a minha relação com o didgeridoo, tornando-se numa das minhas maiores paixões. Actualmente estou a desenvolver diferentes projectos musicais, e também aproveito os tempos livres para explorar e experimentar novas e diferentes fusões musicais. Básicamente, a minha intenção é promover o dodgeridoo nas suas variadas potencialidades e possibilidades e espalhar a mensagem do dodgeridoo por todo o mundo. http://rodrik.bandcamp.com/ 23h00 CURASOM Apresentação do projecto CURASOM, uma marca que levará aos portuenses e portugueses diversos instrumentos eruditos e oriundos de diversas partes do mundo. Há um enredo em volta deste conceito. O Som leva-nos à ORIGEM do MUNDO, deixa-nos navegar no nosso íntimo ser e desperta o nosso ser criança (...) Ricardo Swami Saudade, mentor do projecto Curasom, além de uma breve apresentação do projecto e dos instrumentos utilizados para o mesmo, que podem ser inclusive experimentados pelo público, irá congratular-nos com um pequeno concerto de Space Drum. www.curasom.pt 23h30 RE-TIMBRAR (...) Numa fusão de tradição e contemporaneidade, cria-se, assim, a novidade. Com a acção de todos, e as influencias de cada um, cria-se, assim, um estilo musical global: novo e antigo, local e longinquo, todas as visões são benvindas neste processo de redescoberta das raízes específicas da música portuguesa. (...) A oficina procura, em palco ou fora dele, sensibilizar o público, divulgando o potencial rítmico e melódico dos instrumentos de percussão portugueses, inserindo- os nos variados géneros musicais. Parte-se de um pressuposto de participação de todos, sendo que todos são, então, público, e simultaneamente, parte activa da actuação. Misturando o tradicional, tantas vezes esquecido e mal-amado, com o contemporâneo e actual, a oficina Re-Timbrar procura reconciliar a música com a tradição. Tornando todas as pessoas parte deste movimento, impulsiona-se a música portuguesa, incentivando a criação de novas sonoridades tradicionais. Numa fusão de tradição e contemporaneidade, cria-se, assim, a novidade. Com a acção de todos, e as influências de cada um, cria-se, assim, um estilo musical global: novo e antigo, local e longínquo, todas as visões são bem-vindas neste processo de redescoberta das raízes específicas da música portuguesa. www.retimbrar.pt.vu Sonoridades, dia 13: NOITES FOLK com Osga (programador do festival Etnias) DIA 14, SEXTA-FEIRA, Casa da Música KRISTOFF SILVA 22h30 Kristoff Silva, natural de Belo Horizonte, é reconhecidamente um dos artistas mais versáteis da sua geração. Actua como violonista, cantor, compositor, professor de teoria musical e autor de músicas para teatro e dança. Em 14 anos de profissão, já se apresentou ao lado de artistas como Caetano Velloso, Elza Soares, Zé Miguel Wisnik, do diretor teatral Zé Celso Martinez Correa, das cantoras Mônica Salmaso, Alda Rezende, Ná Ozzetti, Virgínia Rosa, além da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e do grupo UAKTI. Recentemente foi seleccionado entre mais de 1410 artistas inscritos em todo o Brasil, no projeto "Rumos Itaú Cultural", que faz uma cartografia da produção musical feita atualmente no país. Escreveu o 'Livro de Partituras' de Zé Miguel Wisnik, elogiado por Arthur Nestrovski como "as mais bem grafadas da canção brasileira até hoje". www.kristoffsilva.com.br 23h30 ZOOBAZAR Os ZOOBAZAR são um quarteto de música do mundo de Madrid, cujos membros já tocaram nas bandas mais importantes de música do mundo de Espanha, tais como RADIO TARIFA, LA MUSGANA, ELISEO PARRA, JAVIER PAXARINO, MASTRETA... A banda quis experimentar um novo mundo de sons e criar uma nova fronteira instrumental, baseada na música tradicional, combinando vários elementos mediterrâneos, como o folklore ibérico, musica dos Balcãs, da Grécia, da Turquia, Médio Oriente, África do norte, Flamenco e Rock, Funk, Jazz e Música Indiana. Os ZOOBAZAR conseguem criar um som muito pessoal e único ao compor melodias claras e cativantes, entrelaçadas com solos virtuosos e hábeis baseados em ritmos fortes e sólidos e grooves com arranjos de diferentes progressos harmónicos. Também sabem encantar os ouvintes com melodias profundas e lentas ao usar introduções longas tipo “taksim” (solos Árabes) nas quais expressam com os seus instrumentos um leque variado de sensações musicais, sendo o sílêncio uma parte importante da música e elevando o público a uma nova dimensão musical. (...) Os ZOOBAZAR são Amir-John Haddad - Ud árabe acustico e eléctrico, Saz Turco e buzuki. Diego Galaz - Violino, Violino-trompete (stroviol) e Mandolim. Pablo Martin – bateria e percussões, como durbake, riq, bendir etc. Hector Tellini – Baixo electrico. www.zoobazar.es 00H30 MU Os Mu iniciaram o seu percurso musical em 2003. Em busca de fusão e de experimentação no seio da música tradicional, muitos foram, e continuam a ser, os estilos que caracterizam esta banda portuguesa. Os seus membros dedicam-se aos mais variados instrumentos provenientes dos quatro cantos do mundo, o que permite a este projecto viajar por distintas culturas e sonoridades tradicionais e de fusão. A junção de instrumentos oriundos da Índia, Suécia, Egipto, Brasil, Marrocos, Austrália, entre outros, permitiu aos Mu descobrir na música uma viagem por mundos perdidos e resgatá-los atá à actualidade. Entre danças esvoaçantes, vozes femininas e instrumentos variados, os Mu criam ao vivo um momento de alegria contagiante. Nos seus espectáculos, a energia viaja no ar impelindo-os a dançar num mundo sem limites. (...) Ao longo do seu percurso os MU contam já com três trabalhos discográficos, Mundanças (2005), Casanostra(2008) e Folhas que Ardem (2012). www.mu.com.sapo.pt Sonoridades, dia 14: WORLD MUSIC PARTY com António Pires (autor do blog Raízes e Antenas), no espaço Contagiarte. DIA 15, SÁBADO, espaço Contagiarte ADDUCANTUR Addūcantur é do mundo e faz-se com amor às sonoridades, umas longínquas e outras de bem perto e é essa sugestiva fusão que nos leva em viagens... e invade os corpos É em 2008 que surgem das cordas obstinadas e vibrantes de José Correia e Nuno Silva, as primeiras composições musicais deste projecto que com um percurso atipico foi-se afinando as exigências da música. que se apresentou, num golpe de ousadia criativa afirmou-se recentemente como Addūcantur. Addūcantur é do mundo e faz-se com amor às sonoridades, umas longínquas e outras de bem perto e é essa sugestiva fusão que nos leva em viagens, a sítios cuja atmosfera onírica nos faz pensar conhecer de uma memória ou de um sonho. A música é para ouvir, observar e absorver, a sua natureza Se foi com o nome Elementos contemplativa e densa, desenha fluídos fraseados de humores oscilantes, entre o carácter complexo da música erudita e a pureza da música étnica. É com enorme prazer que Eloísa d´Ascensão na Voz; José Correia na guitarra clássica, guitarra acústica fretless, duduk e flauta de bisel contralto ; Luiza Bragança no sintetizador/piano; Nuno Silva no saz, santur persa, oud e bouzouki e Sérgio Henrique no tar, riq, darbuka e udu, vos convidam a viajar. www.facebook.com/adducantur 23h00 LUGARES DA PELE Stong Pa Nyid E Iris Lican combinam a fotografia e o movimento num trabalho de criação em tempo real. Todas as imagens foram criadas n relação imediata com os lugares escolhidos e com a ressonância de cada uma consigo mesma., com o local e com a outra. Esta performance combina exposição fotográfica com dança e movimento. O corpo atravessa os espaços da exposição , circulando entre salas, entrando e saindo de lugares, peles, rostos, identidades. Sendo alternadamente questionador, ritual, parte das próprias paredes, terreno e etéreo. Assim, o público é convidado a apuarar o olhar, porque há partes que vê, outras que não. E ninguém vê exactamente a mesma performance. (...) No final, propõe-se uma conversa aberta entre criadoras e audiência (...) dissolvendo a barreira entre artista e público, alargando a experiência. espectador, criador, elemento neutro, elemento Criação e interpretação Iris Lican e Stong Pa Nyid Fotografia Stong Pa Nyid Movimento Iris Lican Som Baltazar Molina www.irislican.com 23h30 SLAP HAND TO HAND Slap – Hand To Hand é uma banda baseada na percussão da África Ocidental, misturando diferentes ritmos, rituais, histórias e culturas. A música Mandinga/ Griot representada pelos Djembes, Dununs e Balafon funde-se com a cultura contemporânea através deVjing e Sampling usando o Resolume e instrumentos como o Akai MPD Sampler. É objectivo desta banda misturar a cultura Mandinga/Riot com a urbana, sem deturpar a origem, fazendo um apelo constante aos sentidos e às memórias intrinsecas à genética colectiva. Os percussionistas escondem nas entrelinhas desta sonoridade ritmos e melodias com origem em simbolos ancestrais que são a resposta para transes de várias castas. Mais do que percussionistas, mais do que músicos, os Slap trabalham a partir de uma herança, transformando a urbe num campo de terra onde a poeira levanta a cada batida. Davidian Lopes :: Francisco Rodrigues Bento :: Francisco Aviztía :: Lascas :: Pedro Petronilho :: Pedro Adrega Sonoridades, dia 15: WORLD MUSIC PARTY com Dj Goldenlocks (mentora das noites vibrantes Fuego y Tumbao) Comemoração do 9º aniversário do espaço Contagiarte Contactos produção: contagiarte@contagiarte.pt danielareis.contagiarte@gmail.com asaltao.contagiarte@gmail.com carlos.bartilotti@gmail.com 222 000 682 / 91 604 71 01 Contagiarte – espaço de sensibilização, formação e dinamica culturais Rua Álvares Cabral, nº372 4050-040 Porto»

20 novembro, 2012

Canções Urbanas -- Com Gisela João, Helder Moutinho e JP Simões

Olhem só que três: Gisela João (na foto, de Gonçalo F.Santos), uma das maiores revelações do fado no feminino dos últimos anos, Helder Moutinho, um dos mais genuínos e conhecedores fadistas desde há muito tempo, e JP Simões, um dos cantautores mais carismáticos da música portuguesa, reunidos num projecto original. Os pormenores: «III Concerto dos Advogados CANÇÕES URBANAS - O CÉU É FRIO POR CIMA DA FOGUEIRA PUBLICA" GISELA JOÃO, HÉLDER MOUTINHO JP SIMÕES JUNTOS NO TEATRO SÃO LUIZ dia 21 Novembro às 21h00 Gisela João e Helder Moutinho juntam-se a JP Simões para uma noite dedicada às canções que aquecem o coração das cidades. A ideia germinou da empatia e mútua admiração que existe entre os três artistas, e foi tomando a forma de uma viagem entre vários géneros de música intrinsecamente ligada às cidades, como o Fado, o Tango ou a Bossa Nova: uma encruzilhada onde os intérpretes arriscam percorrer outros caminhos para além dos seus habituais territórios de expressão. Nat King Cole, Trovante, Frank Sinatra, Carlos do Carmo, David Bowie, Amália, Tom Waits, bossa nova, jazz, fado, canção clássica… rumos que se cruzam em três vozes que abordam um reportório escolhido em comum com sensibilidades pessoais e diferentes. A frase do poeta Francis Picabia, "o céu é frio por cima da fogueira pública", é o mote para uma noite onde as canções se servem quentes por baixo do frio e silencioso céu que nos sustenta. Gisela João é considerada por muitos entendidos como uma das mais interessantes vozes dos últimos anos a surgir no panorama musical do Fado. Helder Moutinho é um fadista da geração que surgiu na década de 90 vindo de uma família ligada ao fado. JP Simões tem exercido essencialmente música nos últimos 17 anos com os Pop dell'Arte, Belle ChaseHotel, Quinteto Tati e a solo. A acompanhá-los estarão Tomás Pimentel no piano, Gabriel Godoi e Pedro Viana na guitarra, Rogério Ferreira na viola e João Custódio no ContraBaixo. Bilhetes à venda: Bilheteira do Teatro das 13h às 20h; telefone: 213 257 650 | www.teatrosaoluiz.pt; www.bilheteiraonline.pt; bilheteira@teatrosaoluiz.pt Preço dos Bilhetes: 1ª Plateia: 17 € | 2ª Plateia: 13 €»

16 novembro, 2012

Gerações do Fado - À Borla, no Tivoli

É por uma boa causa e, ainda por cima, junta excelentes fadistas (e músicos) de ontem, de hoje, de amanhã e de sempre. O comunicado: «Fadistas de diferentes gerações juntam-se para assinalar em Portugal o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo: “GERAÇÕES DO FADO” 18 de novembro :: Teatro Tivoli :: 21h00 entrada livre Concebido especificamente para este evento, o espetáculo “GERAÇÕES DO FADO”, que se realiza no próximo dia 18 de novembro, no Teatro Tivoli, em Lisboa, pelas 21h00, é uma iniciativa do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal. Este espetáculo tem como fio condutor o jovem guitarrista Ângelo Freire, que convida Fadistas de diferentes gerações a partilharem com ele o Palco. Participam, entre outros, Carlos do Carmo, Joana Amendoeira (na foto), Cuca Roseta, Celeste Rodrigues, Fernando Alvim e Marco Rodrigues. O desafio lançado aos artistas mais consagrados é o de partilharem o palco com jovens fadistas que agora começam a despontar nas Casas de Fado. O espetáculo, dinâmico, vivo, emotivo, procura ser ilustrativo da partilha e da cumplicidade existente entre diversos artistas de diferentes gerações do Fado. A entrada para o espetáculo é gratuita, limitada à lotação da sala.»

14 novembro, 2012

Live Freedom - Concerto Pela Amnistia Internacional

É importante ir e celebrar! O comunicado da Amnistia Internacional: «É já no próximo dia 12 de dezembro de 2012 que a Amnistia Internacional Portugal vai ligar-se à música num espetáculo que promete ser memorável! Temos bilhetes, em número limitado, a preço especial para os nossos membros e apoiantes. Aurea, Deolinda (na foto) e David Fonseca vão aliar-se à equipa das Manhãs da Rádio Comercial (Pedro Ribeiro, Ricardo Araújo Pereira, Vanda Miranda e Vasco Palmeirim) para dar voz pelos direitos humanos e, sobretudo, aos cinco casos da Maratona de Cartas deste ano. O concerto vai decorrer em Lisboa, no Teatro Tivoli BBVA, às 21h30 do dia 12-12-12. Os bilhetes custam 8 euros e vão estar à venda nos locais habituais, a partir de hoje, 14 de novembro. Mas, para os nossos membros e apoiantes haverá, em exclusivo, 100 bilhetes com o preço especial de 6 euros. Como deverá proceder para conseguir o seu bilhete a este preço? 1) Até ao dia 20 de novembro escreva um email para reservas.livefreedom@gmail.com com o seu nome completo e número de bilhete de identidade/cartão do cidadão. 2) Caso seja um dos 100 primeiros a enviar o email, receberá a confirmação de que pode levantar o bilhete na sede da Ticketline ou no Teatro Tivoli BBVA (mediante identificação) até ao dia 2 de dezembro. Sede da Ticketline = Av. Elias Garcia, 137, 3º, 1050-099 Lisboa (de 2ª a 6ª feira das 11h00 às 20h00, Sábados, Domingos e Feriados das 13h00 às 20h00) Teatro Tivoli BBVA = Av. da Liberdade, n.º 182 a 188, 1250-146 Lisboa (de 3ª feira a sábado, das 13h00 às 20h00) Nota: O desconto aplica-se exclusivamente a membros e apoiantes da Amnistia Internacional Portugal.»

11 novembro, 2012

Amadou & Mariam - Na Gulbenkian, Às Escuras

Vai ser, por certo, uma experiência única: a admirável dupla maliana Amadou & Mariam (na foto, de Marie Dagnaux), vai apresentar na Gulbenkian, em Lisboa, dia 18 deste mês, o espectáculo «Eclipse», em que os espectadores vão ouvir música -- e percepcionar outras sensações -- completamente às escuras. Como este é um espectáculo especial há algumas regras que é necessário seguir. Está tudo explicado aqui em baixo: «Domingo, 18 Nov 2012, 19:00 - Grande Auditório AMADOU BAGAYOKO (voz, guitarra) MARIAM DOUMBIA (voz) MAMANI KEITA (voz) YAO DEMBELE (baixo elétrico) YVO ABADI (bateria) ALI KEITA (balafon) MADOU DIABATE (kora) IDRISSA SOUMAORO (teclados) Músicas do Mundo: Eclipse AVISO Informamos que o espetáculo ECLIPSE decorre na total escuridão e terá a duração de 75 minutos. Por razões de segurança, toda a sala foi equipada com um sistema de visão noturna. Em caso de emergência, desconforto, indisposição, ou desorientação que provoque a necessidade de sair da sala, deverá o espetador agitar no ar o programa. Um assistente irá imediatamente ao seu encontro e prestará o auxílio necessário. Para garantir o sucesso do espetáculo é obrigatório respeitar e aceitar as seguintes regras: 1. Todos os objetos, sacos, malas ou casacos deverão ser entregues no Bengaleiro; 2. Todos os equipamentos passíveis de emitir luz, som ou vibração (telemóveis, relógios, etc.) deverão estar desligados. 3. É proibida a entrada na sala de qualquer dispositivo de gravação vídeo ou som; 4. Após o início do espetáculo não será possível a entrada ou reentrada na sala. ECLIPSE é um espetáculo que pretende exacerbar a estimulação dos sentidos como o olfato e a perceção da temperatura ambiente, que poderá oscilar entre 15º e 30º Celsius; Desejamos que apreciem esta experiência multissensorial. A Fundação Calouste Gulbenkian reserva o Direito de Admissão perante o não cumprimento das determinações referidas. A dupla formada pelos malianos Amadou Bagayoko e Mariam Doumbia há muito que se tornou um dos nomes mais fortes do circuito da world music. Mas se já não é novidade a capacidade de estabelecer pontes com a música ocidental (Manu Chao, Damon Albarn, TV on the Radio), o espetáculo Eclipse aproxima-nos como nunca antes das suas canções: totalmente às escuras, neste espetáculo multissensorial ser-nos-á contada a história do casal amblíope e ouviremos as suas composições tal como eles – com a dispensa da imagem.»

09 novembro, 2012

Lisboa Mistura - O Que Aí Vem Este Ano!

Mais uma vez com direcção de Carlos Martins, o Lisboa Mistura 2012 tem mais um belo e ecléctico programa. Veja-se só: «LISBOA MISTURA 2012 23-25 NOV DAZKARIEH / ORELHA NEGRA / KALAF / TCHECA/ DINO D´SANTIAGO/ MACACOS DO CHINÊS / OFICINA PORTÁTIL DE ARTES / FESTA INTERCULTURAL De 23 a 25 de Novembro, sexta a domingo, regressa mais uma edição do Festival Lisboa Mistura no Teatro São Luiz, espaço de encontro intercultural no centro de Lisboa Lisboa Mistura é um acontecimento intercultural que surgiu em 2005, fruto da necessidade de criação de um Fórum Intercultural na cidade de Lisboa e brotou desta maravilhosa oportunidade criada pela diferença e curiosidade. Todos devemos trabalhar para a construção de um ‘espaço’ comum mais democrático. A Interculturalidade é também política na urgência social e cultural de um país ou de uma cidade. Lisboa enquanto cidade geneticamente multicultural é uma efectiva embaixada para quem vem de outros lugares. A vivência e trocas entre culturas e mundos diferentes é tão importante para a harmonização evolutiva da vida conjunta como o talento ou a tecnologia. Todos os anos criamos pontes entre as comunidades que habitam a Grande Lisboa e os públicos de dentro e fora da cidade. Os elencos que temos mostrado, nacionais e internacionais, amadores e profissionais, são uma prova da vitalidade criativa que surge dos encontros e celebrações que a cidade inspira. O Lisboa Mistura virá já no próximo ano para a rua, alargar o seu público, com performances e outras formas de representação da diversidade social e cultural de Lisboa como uma grande ‘praça pública’ do Mundo. O programa deste ano é reflexo da celebração da vida multicultural nacional e internacional com projectos de grande nível performativo e de produção. Projectos como os que trazemos mostram a transversalidade de influências da cultura portuguesa e a riqueza que daí advém. Como sempre, teremos o “Lis-Nave” ( uma actualidade Lisboeta do ano), um naipe de músicos de alta qualidade (desde o nosso convidado do Brasil para fortalecer a ligação entre Lisboa e Natal, até ao lançamento do CD dos Dazkarieh passando pelo magnífico Tcheca - na foto), uma instalação de Kalaf, documentário sobre um projecto comunitário, há ainda espaço para uma mostra de talento jovem, através da apresentação das OPA (Oficina Portátil de Artes). Acabamos o Lisboa Mistura com a incontornável Festa Intercultural com lisboetas do Congo, Brasil, Índia, Cabo-Verde, Japão, Moldávia, entre outros. Este ano descentralizamos o Lisboa Mistura e fazemos uma noite de misturas latinas no MusiBox em pleno Cais do Sodré. Convidamos todos, mais uma vez, a assistir a uma grande peça, com dramaturgias variadas, em que ‘nós’ somos os protagonistas. É um convite irresistível que Lisboa vos faz quando mostra o que de melhor e alternativo perto de nós habita, como os vizinhos que desconhecemos intimamente. Lisboa Mistura é sobrevivência. Carlos Martins» Programa completo: «Lisboa Mistura é um projecto multi-disciplinar e intercultural, apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa, e iniciou-se em 2006, integrando projectos nas áreas cultural e social. Com a celebração e o confronto como impulsos, é do cruzamento intercultural que nasce a sua força e caminhos para o desenvolvimento.
 23 Nov, sexta-feira 19h00 - Jardim de Inverno 
CONVERSA INTERCULTURAL A propósito da Instalação “Domingo” de Kalaf realizamos uma conversa sobre o que é para nós a interculturalidade (ou esta forma de vivermos a vida em conjunto) e sobre novas formas de comunicação que ilumine a diversidade de dentro e fora de todos nós. 20h00 - Jardim de Inverno
"DOMINGO"
Apresentação da Instalação multimédia de Kalaf Viver bem que poderia significar não estar preso a nada, a ninguém. Nem a pontos geográficos, nem àquilo que acreditamos não puder viver sem, para que se depure o gosto pelas coisas insignificantes mas que fazem sempre valer a pena o regresso. 21h30 - Sala Principal
 DAZKARIEH Concerto de lançamento de “Eterno Retorno”, o sexto álbum de originais da banda que se mantém fiel à combinação de tradição, electrónica, rock e folk. Quando sobe ao palco, a banda de Joana Negrão e Vasco Ribeiro Casais, prova que o passado e o presente podem coexistir num mesmo momento. 24h00 - Musicbox. Cais do Sodré. www.musicboxlisboa.com COMBO NUEVO LOS MALDITOS | TRIO PINCHADISCOS A noite latina do Musicbox acompanha os trópicos! Integrada no festival Lx Mistura, regressa a musicalidade LATINO Y TROPICAL carregada de cumbia, chicha e latin funk, para nos fazer sentir mais próximos de um Verão imaginário a desfilar trópico abaixo. Seja através do concerto do COMBO NUEVO LOS MALDITOS, seja com o dj set do TRIO PINCHADISCOS (El Mecanico del Amor, Leo Guzman e La Flama Blanca) a viagem pela América do Sul tem paragem nas terras de Enrique Delgado, Lucho Bermudez, Anibal Velasquez e Juaneco, com direito a paragem para Pisco Sour, retomando imediatamente o bailarico que ensina ao corpo novas formas de dançar. 24 Nov, sábado às 16h00 e às 18h00 - Jardim de Inverno OPA - Oficina Portátil de Artes O projecto OPA – Oficina Portátil de Artes – é apresentado mais uma vez no Lisboa Mistura dirigindo-se a jovens dos bairros da Grande Lisboa que desenvolvem projectos performativos em grupo ou individualmente. Numa mistura de culturas e de gerações, este ano o projecto OPA centrou-se na Alta de Lisboa, envolvendo várias Associações, com apresentações de música, teatro e dança. O projecto OPA – Oficina Portátil de Artes – é apoiado pela Fundação Montepio. 17h00 - Jardim de Inverno
 HUMBERTO LUIZ Humberto Luís, nordestino, é um dos melhores músicos do Brasil inteiro. Este fã de Bernardo Sassetti vai tocar no Lisboa Mistura com dois músicos do famoso trio deste último, Carlos Barreto e Alexandre Frazão. Mas musicalmente Humberto tem o seu universo próprio que vale mesmo a pena ser descoberto pela alegria, luz e imaginação que transmite quando toca. O seu ritmo é todo do Brasil, as melodias são do Mundo. 19h00 - Sala Principal 
TCHEKA Autor, compositor e intérprete de toda a sua obra, TCHEKA revela plenamente a versatilidade que caracteriza a sua voz, com a facilidade desconcertante de passar em segundos de uma entoação melancólica, para um registo de sentimento de alegria. A maturidade do seu mais recente disco “Dor de Mar”, concilia uma surpreendente liberdade de escrita, com uma voz cada vez mais enquadrada na sua própria linguagem. 20h00 - Jardim de Inverno
 ORQUESTRA GERAÇÃO 
Exibição do documentário Diogo, Ana, Daniel e Mónica dividem os seus dias entre casa, a escola, as aulas de expressão dramática e os ensaios de música. São jovens que vivem na periferia da Grande Lisboa, onde, até à chegada do projecto Orquestra Geração, o sonho de ser violinista não era de todo comum. 21h30 - Sala Principal 
LISNAVE 2012 3 bandas que fazem da música negra o seu mote existencial. Com abordagens sonoras distintas, DINO DE SANTIAGO o cantor soul, agora de regresso à raiz mais acústica da música de Cabo Verde, MACACOS DO CHINÊS que juntam à sua base electrónia de bass music (grime/dubstep/drum’n’bass/hiphop) a guitarra portuguesa, e ORELHA NEGRA com o seu hiphop instrumental, repleto de referências de um passado cujas influências não se esgotam no jazz/funk dos anos 70, mas em quase toda a música que a partir dessa década, fez dançar os grooveheads deste planeta. 24h00 - Jardim de Inverno Dj Johnny Mesmo para os mais desprevenidos, o nome não passa despercebido. São já 20 anos como dj desde as saudosas festas em clubes mais underground até aos festivais de música mais massivos. Na linha da frente, assitiu “in loco” à evolução da música de dança no cenário português. Os seus programas de rádio - primeiro no RCP e XFM, depois na rádio Marginal e Radio Oxigenio - foram uma das forças propulsoras do movimento drum’n’bass no nosso país. Mas o seu universo musical estende-se muito para além disso: aposta no cruzamento das sonoridades jazz, soul, hip hop, Afro dance Hall reggae com as linguagens mais modernas da música de dança. 25 Nov, domingo 16h30 - Jardim de Inverno
 FESTA INTERCULTURAL Portugal precisa de fazer comunidade. É vital e sente-se em tempos como os que estamos a viver que é uma das causas da enorme confusão que é comunicar. O Lisboa Mistura procura desde sempre estimular este espírito comunitário. Este ano vamos poder ver e ouvir pessoas, a solo ou integrando pequenos grupos amadores ou semi-profissionais, a mostrar os artísticos momentos com que atenuam a melancolia migrada do Japão, Congo, Brasil, Índia, Cabo-Verde, Rússia, Moldávia, entre outros. 
PREÇOS Sala Principal €10 - Bilhete diário €15 - Passe de 2 dias Não acumulável com outros descontos Jardim de Inverno Entrada livre (sujeita à lotação da sala; bilhetes disponíveis a partir das 13h00 no próprio dia) Music Box - entrada livre, sujeita à lotação e válida entre as 23h00 e as 03h00. 
Obrigatório a apresentação do bilhete do São Luiz Teatro Municipal/Lisboa Mistura Descontos 50% Estudantes, menores de 30 anos, maiores de 65 anos, pessoas com deficiência e acompanhante, desempregados, profissionais do espectáculo, funcionários da CML e Empresas Municipais (extensível a um acompanhante)»

08 novembro, 2012

Festival Rotas & Rituais - Bom-dia Brasil!

Está tudo explicado no texto de apresentação: «ROTAS & RITUAIS | O SAMBA TAMBÉM MORA AQUI De 9 a 17 de Novembro | Cinema São Jorge | Cinema, Concertos, Conversas Musicais e Exposição Tendo como mote as Comemorações do Ano Brasil em Portugal e sob o título “O Samba Também Mora Aqui”, a V edição do Rotas & Rituais junta no mesmo espaço – o Cinema São Jorge - artistas brasileiros e portugueses. De 9 a 17 de Novembro apresentamos um ciclo de 11 sessões de cinema brasileiro dos últimos anos, 3 concertos em que músicos brasileiros convidam nomes da música portuguesa, 2 conversas musicais e 1 exposição. O Rotas & Rituais atravessa a fronteira líquida do Atlântico e promove este encontro com o intuito de captar a intimidade que se estabelece do lado de dentro da música, do cinema e das conversas entre os artistas. Distantes mas próximos, diferentes mas idênticos, independentes mas fraternos, Brasil e Portugal, Portugal e Brasil. PROGRAMAÇÃO: Semana de Cinema Brasileiro em Lisboa | De 9 a 14 de Novembro – entrada livre 9 Nov | 21h30 MPB – Música Portuguesa Brasileira | Pierre Aderne | Doc. | 2012 10 Nov | 18h | 21h30 O Samba Que Mora Em Mim | Georgia Guerra – Peixe | Doc. | 2010 Bruna Surfistinha | Marcus Baldini | Ficcção | 2011 11 Nov | 18h | 21h30 A Antropóloga | Zeca Nunes Pires | Doc. | 2010 Eu Receberia as Piores Notícias dos Teus Lindos Lábios | Breto Brant | Ficção | 2011 12 Nov | 18h | 21h30 JK em Exílio | Charles Cesconetto e Bertrand Bessot | Doc. | 2010 Girimunho | Helvécio Martins | Ficção | 2011 13 Nov | 18h | 21h30 Quem se Importa | Mara Mourão | Doc. | 2012 A Festa da Menina Morta | Matheus Nachtergaele | Ficção | 2008 14 Nov | 18h | 21h30 O Céu Sobre os Ombros | Sérgio Borges | Doc. | 2010 Heleno | Henrique Fonseca | Ficção | 2012 Conversas Musicais | 12 e 14 de Novembro – entrada livre 12 Nov | 19h | Pierre Aderne recebe: Marco Rodrigues, João Afonso, Fred Martins, Luiz Caracol, Susana Travassos 14 Nov | 19h | Pierre Aderne recebe: Cuca Roseta, Susana Félix, Pedro Pinhal, Couple Coffee Concertos | 15, 16 e 17 de Novembro – 10€ / 17.50€ (2 concertos) / 25€ (3 concertos) 15 Nov | 22h | Paula e Jaques Morelenbaum convidam Pedro Jóia 16 Nov | 22h | Hamilton de Holanda convida Maria João e Mário Laginha 17 Nov | 22h | Mariana Aydar (na foto) convida JP Simões e Norton Daiello» E ainda mais bem explicado aqui.

24 outubro, 2012

Musidanças - A Lusofonia em Festival no B.A.

E olhe-se só que belo programa, o da nova edição festival Musidanças! Tudo aqui: «Em novembro, o Bairro Alto abre as portas à lusofonia O primeiro lugar em que Oriente, Índias, Áfricas e Áméricas se encontraram, recebe agora o festival das artes do mundo lusófono, o Musidanças. Guiné, Angola, Portugal, Cabo Verde e Moçambique reúnem-se no Bairro Alto para celebrar com ritmos a mestiçagem da língua portuguesa. O encontro está marcado para os dias 1, 2 e 3 de novembro no Teatro do Bairro, com apresentação na Fnac Chiado. Para a sua 12ª edição, o Festival Musidanças traz ao coração de Lisboa uma mostra da nova geração de músicos que, apesar de serem provenientes de estilos diferentes, partilham algo em comum: a língua. O festival arranca na Fnac Chiado com Tutim Di Giralda, um artista que tem vindo a revelar-se, através da voz da cantora cabo-verdiana Nancy Vieira, como um talentoso e versátil compositor. Mas o seu dom transcende a composição, e é por isso que se estreia agora também como vocalista. Mais tarde os Cabace sobem ao palco do Teatro do Bairro para nos trazer um som que definem como “Afro-good-feeling”. É música carregada de vibrações positivas, que explora estilos africanos bem como géneros mais mainstream como a pop, o soul ou o reggae. E se um moçambicano e uma caribenha se encontrassem no caldeirão étnico de Londres e decidissem criar música juntos? Foi o que fizeram Mohammed, rapper moçambicano e Sarina Leah, cantora de r'n'b caribenha. Em conjunto formam os Native Sun (na foto), um duo que mistura a língua portuguesa com a inglesa e une o hip-hop ao soul. Os Native Sun actuam no dia 2 de novembro, o segundo dia do festival. E se foi no coração de Lisboa que tudo se misturou, é natural que existam ainda os ecos da história, que criaram novas tradições. No último dia do festival, os ATMA sobem ao palco e espalham pela sala o espirito lusitano. Através dos acordes da guitarra portuguesa e do fado, o grupo convida o público a uma viagem pelo mundo arábe e crioulo. A apresentação do festival na Fnac Chiado tem entrada gratuita. No Teatro do Bairro, os bilhetes são diários e estarão à venda no local do evento, existindo a possibilidade de serem reservados. O valor de cada ingresso é de 8€. A CP associou-se ao Musidanças no âmbito da sua estratégia de promoção do comboio como meio de transporte para viagens de lazer, e para além da oferta de condições comerciais vantajosas nos seus transportes, a empresa apoia a divulgação do evento. Para além da CP, o Festival Musidanças conta ainda com o apoio da Fnac, do Teatro do Bairro, da Associação Jungleplanet, da Zoomusica, da NCS Entertainement e da WTG®Management. Programação 1 de novembro (Quinta-feira) 18h30 - Fnac Chiado Apresentação do Festival Musidanças com Tutim Di Giralda 23h00 - Teatro do Bairro Cabace (Guiné Bissau/ Afro / Soul / Reggae) Dj Quiné (Dj Set) (Afro World) 2 de novembro (Sexta-feira) 23h00 - Teatro do Bairro Native Sun (Moçambique / UK / HipHop / Soul) Eliza Sparks vs Sette feat Greyss (Dj Set) (Afro / Hiphop) 3 de novembro (Sábado) 23h00 - Teatro do Bairro ATMA (Portugal/World Fusão) Bob Figurante feat. Dublota Sound (Dj Set) (Reggae / Étnico) Preço de venda ao público Bilhete: 8€ ( à venda no local do evento, existindo a possibilidade de reservar). Mais info: Facebook: www.facebook.com/festivalmusidancas Email: musidancas@jungleplanet.net Site: www.jungleplanet.net/festivalmusidancas Informações de reserva: 213473358 / 913211263 Informações: 968972450»

Vem Aí o XIV Fest-i-Ball!

Vem aí mais um Fest-i-Ball! Veja aqui os pormenores: «O Outono é tempo de mudança: de temperatura, de roupa, de hora, das folhas nas árvores... E este Outono traz consigo, além disso, uma nova «luz», com o regresso do FEST-i-BALL ao Teatro D. Luiz Filipe (antigo Teatro na Luz), no Largo da Luz (Carnide), em Lisboa, nos próximos dias 26, 26 e 28 de Outubro. PREÇO PROMOCIONAL DO BILHETE GERAL do XIV FEST-i-BALL até dia 24 de Outubro: 30 Balls PROGRAMA DO FEST-i-BALL Sexta, 26 de Outubro 22H00: BallTrad | BAILE MANDADO 24H00: BallTrad | KARROSSEL Sábado, 27 de Outubro 14H00: BallDado | MAZURKA: VARIAÇÕES** - KOEN DHONDT 14H00: BallToque | CANTO TRADICIONAL - SEBASTIÃO ANTUNES 15H30: BallDado | DANÇAS DOS BALCÃS - DIANA AZEVEDO 16H00: BallToque | COMPOSIÇÃO MODAL I - PAULO PEREIRA 17H00: BallDado | DANÇAS PORTUGUESAS - MATIAS ** Nìvel Intermédio/ Avançado 22H00: BallTrad | TRIO LOUBELYA (França) 24H00: BallTrad | DANCING STRINGS Domingo, 28 de Outubro 14H00: BallDado | DANÇAS DE GRUPO - PATRÍCIA VIEIRA 14H00: BallToque | COMPOSIÇÃO MODAL II - PAULO PEREIRA 15H30: BallDado | SCOTTISH: GUIAR E SEGUIR - KOEN DHONDT 17H30: BallTrad | LAEFTY LO 19H00: BallTrad | TRIO LOUBELYA (França) Preços do FEST-i-BALL Geral | 3 dias: 36 Balls Sexta | noite: 12 Balls Sábado | dia+noite : 20 Balls Sábado | noite: 12 Balls Domingo | dia: 12 Balls PREÇO PROMOCIONAL DO BILHETE GERAL do XIV FEST-i-BALL até dia 24 de Outubro: 30 Balls Solicitar o pedido de reserva de bilhete geral e o NIB da Tradballs para transferência bancária, através do nosso email: gestao@tradballs.pt. A promoção só se aplica após envio de comprovativo de pagamento até às 24H00 de quarta-feira, 24 de Outubro de 2012. Mais informações em www.tradballs.pt»

03 outubro, 2012

11º Festival O Gesto Orelhudo Começa Hoje!

Depois de muito tempo de silêncio (por bons e maus motivos), o primeiro post pós-Verão do Raízes e Antenas teria que ser sobre... O Gesto Orelhudo, um festival como não há outro igual e, ainda por cima, com muitos amigos à vista! Aqui vai o programa (para a programação after-hours, favor consultar o cartaz em cima): 11º Festival “O Gesto Orelhudo” 3 a 6 Outubro 2012 | ÁGUEDA, Espaço d’Orfeu http://www.dorfeu.pt/ogestoorelhudo QUARTA 3 OUTUBRO 21h30 “Piano Tour” - Divinas (Barcelona) Concerto músico-teatral inspirado nos anos 50, a época dourada do swing, um tempo em que os trios vocais femininos enchiam as emissões de rádio. Divertidas e muito sensuais, acompanhadas ao piano, as Divinas cantam incrivelmente a três vozes, ressuscitando o glamour, o estilo e até o look da época. E o humor, aquele que brota da personalidade de cada uma delas, na sua ânsia de protagonismo. Muito charme na abertura do 11º Festival O Gesto Orelhudo! 22h45 “Push!” - The Slampampers (Holanda) Um dos mais marcantes grupos de toda a história d’O Gesto Orelhudo (onde se apresentaram em 2006 e 2007), voltam agora com novo espectáculo, “Push!”, para repetir o sucesso. Uma extravagância de três musicómicos plena de peripécias musicais, inesperadas acrobacias, interacção com o público e ilimitada energia. Uma autêntica paródia em cima do palco, por uma mini big-band hilariante! QUINTA 4 OUTUBRO 21h45 “Tim Tim por Tim Tum” Quatro dos mais aclamados bateristas nacionais dão um singular concerto, num clima de interacção que explora o som, o silêncio, o acústico, o gestual e o imprevisível. Quatro baterias em cena é, por si só, fascinante, mas o universo sonoro a descobrir é tão vasto quanto a imaginação, onde qualquer objecto que produza som pode ser usado para fazer música. De regresso ao festival, senhoras e senhores, Tim Tim por Tim Tum! 23h15 “Obrigado!” - Quico Cadaval & Narf (Galiza) Um espectáculo em formato de emissão de rádio, feita em directo pelo contador de histórias Quico Cadaval e pelo músico e cantor Narf. No trabalho destes dois artistas confluem o gosto pelo engenho popular, o magnetismo pelos trópicos, a simpatia pela luso-cultura e a vontade de exprimir histórias muito pessoais. Quico tem um humor fascinante; Narf é um artista dos sons e das canções. O público do Gesto Orelhudo não vai deixar de dizer obrigado! SEXTA 5 OUTUBRO 21h45 “Vintage” - Vozes da Rádio O mais conceituado grupo português a cappella chega ao Festival O Gesto Orelhudo com uma carreira recheada de sucesso. Um peculiar humor na (re)interpretação de músicas de todos os tempos, além do extremo bom gosto nos arranjos vocais, tornam o seu espectáculo “Vintage” obrigatório no festival. A qualidade de Vozes da Rádio não podia demorar mais a chegar ao Gesto Orelhudo! 23h15 “Humor in Concert” - Gogol & Max (Alemanha) Gogol & Max são musicómicos da elite internacional; dois virtuosos que fascinam audiências por todo o mundo. A mímica clownesca, o humor engenhoso e as acrobacias incríveis tornam este espectáculo imperdível. Mas não é tudo: os seus profundos conhecimentos musicais levam estes dois a uma competição, em forma de concerto, que inclui cerca de vinte instrumentos diferentes. Estreia em Portugal, mais um grande espectáculo na linha de programação do festival! SÁBADO 6 OUTUBRO 21h45 “Fados, Fantasmas e Folias” - Zeca Medeiros (Açores) Zeca Medeiros, o cantor açoriano da voz rouca e poderosa, é um artista carismático, tanto na sobriedade das canções, como quando tira do bolso um nariz de palhaço. Na sua teatralidade, transporta para o palco mil vivências como músico e compositor de eleição, com requinte, com humor e fortemente inspirado na profundidade dos sentimentos ilhéus. O regresso do marinheiro das canções à d’Orfeu, ora embalador, ora poderosamente desconcertante. 23h15 “Muito Riso, Muito Siso” - d'Orfeu http://www.dorfeu.pt/outonalidades Quando se cumprem 10 anos da estreia deste espectáculo (em pleno O Gesto Orelhudo do ano 2002), a d’Orfeu apresenta a corrente versão simplista de “Muito Riso, Muito Siso”. Se foi estreado com um elenco de sete pessoas, actualmente é um solo de Luís Fernandes no múltiplo papel de músico-actor-diseur. Ou como muitos textos lusófonos dizem grandes coisas, nem sempre com as palavras mais sérias e formais. Humor potente no fio das palavras!

17 julho, 2012

FMM: Staff Benda Bilili Substituem Gurrumul

A má notícia: o concerto de Gurrumul no FMM foi cancelado, devido a doença do cantor australiano. A boa notícia: os Staff Benda Bilili (na foto) são os substitutos. «Staff Benda Bilili, um dos melhores grupos musicais de África, substitui Gurrumul em Sines O grupo congolês Staff Benda Bilili regressa a Sines no dia 26 de julho, quinta-feira, no âmbito da 14.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, que se realiza entre 19 e 28 de julho. Staff Benda Bilili, que deu um dos melhores concertos da história do festival, em 2010, volta à capital portuguesa das músicas do mundo na sequência do cancelamento do concerto do australiano Gurrumul, por motivo de doença. Um dos maiores casos de sucesso da música africana dos últimos anos, o grupo Staff Benda Bilili nasceu em Kinshasa, República Democrática do Congo, e é formado por músicos deficientes motores que dormiam e ganhavam a vida na rua a cantar e tocar para os transeuntes. Musicalmente, Staff Benda Bilili é uma mistura de ritmos tradicionais, funk e a versão local da rumba. Os músicos cantam, dançam e tocam em guitarras e instrumentos criados pelos próprios com os objetos que encontram na rua. As letras das suas músicas são verdadeiras crónicas da vida da capital congolesa. O álbum de estreia do grupo, “ Très Très Fort” (Crammed), gravado no zoo de Kinshasa por Vincent Kenis, produtor de Konono n.º 1, Kasaï Allstars e de toda a série Congotronics, chegou ao 1.º lugar da World Music Charts Europe em maio de 2009, foi considerado o melhor desse ano pela fRoots e foi eleito o melhor álbum de “world music” de 2009 pela Mojo. O prémio Womex, normalmente só entregue a músicos no final de uma longa carreira, foi-lhes atribuído em 2009 em reconhecimento do seu exemplo extraordinário de dedicação à música. Em 2010, foi eleito o melhor grupo do ano nos prémios Songlines Music Awards. Os Staff Benda Bilili acabam de gravar o seu novo álbum, intitulado “Bouger le Monde” (“Make the World Shake”), que será lançado em setembro, na Crammed Records, já sendo conhecido o seu primeiro single, “Osali Mabe”. A presença dos Staff Benda Bilili obriga à alteração do alinhamento dos concertos da noite em que realiza, que passa a ser o seguinte: Castelo | Quinta, 26 de julho 21h45 – ASTILLERO (Argentina) 23h15 – FATOUMATA DIAWARA (Mali) 00h45 – STAFF BENDA BILILI (R. D. Congo)»

11 julho, 2012

Intercéltico de Sendim - O Programa Definitivo!

Pede-se ao estimado leitor que não ligue à notícia que demos há alguns meses sobre o 13º Festival Intercéltico de Sendim. A de hoje é que vale: «13º Festival Intercéltico de Sendim 3, 4 e 5 de Agosto de 201 GWENDAL E NUEVO MESTER DE JUGLARIA: Dois grupos históricos no Intercéltico de Sendim A décima terceira edição do Festival Intercéltico de Sendim ficará desde logo marcada pelos concertos de dois grandes grupos da folk europeia que são verdadeiras instituições musicais, com um longo trajecto de permanência activa na frente cultural: GWENDAL (grupo proveniente da Bretanha francesa, a celebrar 40 anos de vida!...) e NUEVO MESTER DE JUGLARIA (fundados em finais de 19869, oriundos das vizinhas terras de Castilla y Léon). Duas apostas fortíssimas, às quais não podemos deixar de acrescentar a vinda de um dos mais aclamados grupos no que se refere a concertos ao vivo, o BRIAN FINNEGAN QUARTET (Irlanda). E de paragens ainda mais remotas mas de inequívoca sonoridade intercéltica, o grupo BELTAINE (Polónia). E, para representarem a folk portuguesa, nada mais nada menos do que dois grupos da respectiva frente de excelência – REALEJO e TOQUES DO CARAMULO – assim, como SABÃO MACACO, na alta madrugada de sábado, na Taberna dos Celtas. Mas os concertos vão acontecer também no Largo da Igreja: na tarde do dia 4, realiza-se o GAITEIRICOS 2012 – ENCONTRO DE JOVENS GAITEIROS DO PLANALTO MIRANDÊS assim como uma OFICINA DE DANÇAS MIRANDESAS, e, no dia 5, o I ENCONTRO IBÉRICO DE DANÇAS DE PAULITEIROS assim como uma noite de música tradicional mirandesas, com os grupos LA ÇARAMONTAINA, LENGA-LENGA e TRASGA. Com uma duração de cerca de dez horas, distribuídas pelas tardes dos dias 4 e 5, será efectuada a leitura integral, em mirandês, da obra LS LUSIADAS, de Luís de Camões, envolvendo mais de uma centena de pessoas. Para os amantes da natureza realiza-se na manhã do dia 4 LA RUTA DE LS CELTAS, uma caminhada pelas arribas do Douro, havendo ainda lugar para a apresentação de livros e discos, assim como para uma homenagem ao gaiteiro MANUEL FRANCISCO AIRES, dito TIU PASCOAL, com a participação dos PAULITEIROS DE CÉRCIO. PROGRAMA MUSICAL Parque das Eiras Sexta: 3 de Agosto de 2012 22h30: Toques do Caramulo (Portugal) 23h30: Nuevo Mester de Juglaria (Castilla y Léon, Espanha) 00h30: Brian Finnegan Quartet (Irlanda) Sábado : 4 de Agosto de 2012 22h30: Realejo(Portugal) 23h30: Beltaine (Polónia) 00h30: Gwendal (Bretanha, França) Largo da Igreja Domingo: 5 de Agosto de 2012 Noite de Música tradicional Mirandesa 22h30: La Çaramontaina 23h30: Lenga-Lenga: Gaiteiros de Sendim 00h30: Trasga ACTIVIDADES PARALELAS Largo da Igreja 4 de Agosto de 2012 17h00: Gaiteiricos 2012 – VIII Encontro de Jovens Gaiteiros do Planalto Mirandês (org: do grupo Lenga-Lenga: Gaiteiros de Sendim) 18h00: Oficina de danças tradicionais mirandesas (org: Lenga-Lenga: Gaiteiros de Sendim) 22h00: Animação/Desfile do Largo da Igreja até ao Parque das Eiras dos Gaiteiricos 5 de Agosto de 2012 15h00: I Festival Ibérico de Danças de Palos em Sendim (org: Associação dos Pauliteiros de Sendim) Taberna dos Celtas Sexta: 3 de Agosto de 2012 02h00 : Biba la Gaita!... Os sons da Terra de Miranda Sábado: 4 de Agosto de 2012 12h00: Homenagem ao gaiteiro Manuel Francisco Aires, dito Tiu Pascoal, de Cércio. Lançamento de disco (Sons da Terra). Com a participação dos Pauliteiros de Cércio. 15h00: Apresentação do livro de Mário Correia “Que de fol’gaita tocavam!... - Histórias de Vida dos Gaiteiros do Planalto Mirandês 15h30: Lançamento do disco com a banda sonora do filme de João Botelho “Anquanto la lhéngua fur cantada” 02h00: Actuação do grupo Sabão Macaco (Portugal) 03h00: Exibição do filme de João Botelho “Anquanto la lhéngua fur cantada” 04h00: Biba la Gaita!...… até ao nascer do sol!... Outras Actividades Junta de Freguesia de Sendim 4 de Agosto de 2012: 09h00: Ruta de ls Celtas: Passeio pelas Arribas do Douro em terras de Sendim, com visita às ruínas de Santos e S. Paulo Salão Polivalente da Escola EB2.3 de Sendim 4 de Agosto de 2012: 14h00/20h00 e 5 de Agosto de 2012: 14h00/20h00: Leitura integral em mirandês de “Ls Lusíadas” (Os Lusíadas), com tradução de Fracisco Niebro.» Mais informações, aqui.

27 junho, 2012

Med de Loulé - (Também) O Programa Completo!

...De concertos, claro, que há muito mais coisas a acontecer por lá. É só clicar no botão em cima! Para saber o resto, clique aqui.

FMM de Sines - O Programa Completo!

Aqui vai: «Sines, maior festival português de músicas do mundo, recebe 36 concertos em julho O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, o maior evento de “world music” e outras músicas realizado em Portugal, regressa a Sines entre 19 e 28 de julho. O alinhamento de concertos é um dos mais fortes da história do evento, juntando consagrados como Hugh Masekela, Mari Boine, Béla Fleck, Oumou Sangaré, Tony Allen e Marc Ribot, a novas estrelas como Fatoumata Diawara, Bombino e Gurrumul. Num festival que se assume desde a sua primeira edição, em 1999, como um serviço público cultural, a programação mantém como princípio orientador proporcionar aos espetadores portugueses e estrangeiros que o visitam uma imagem a cores do mundo musical, em que não há géneros nem geografias dominadores e em que os diálogos entre culturas são, cada vez mais, a forma de expressão que melhor define a contemporaneidade. Serão 36 concertos com músicos dos cinco continentes e uma infinidade de estilos musicais repartidos por dois períodos principais: 19 a 21 de julho (primeiro fim de semana), com espetáculos no palco histórico do Castelo, e 25 a 28 de julho (segundo fim de semana), com espetáculos no Castelo e no palco do Pontal, montado junto à Praia Vasco da Gama. As iniciativas paralelas decorrem, em contínuo, entre 19 e 28 de julho, e no dia 24 de julho realiza-se um concerto especial no Centro de Artes de Sines. 3 MUDANÇAS EM RELAÇÃO A 2011 • Mais música no primeiro fim de semana As noites de 19, 20 e 21 de julho, primeiro fim de semana do festival, serão este ano mais intensas, com quatro concertos, em vez de apenas três. O último concerto de cada dia, já em “after-hours”, será orientado para a dança. • Nova localização do palco da Av. Vasco da Gama O palco 100% gratuito junto à Praia Vasco da Gama terá este ano uma localização diferente, encostado ao rochedo conhecido em Sines como “Pontal”. A mudança deve-se às obras do Programa de Regeneração Urbana, em curso na Av. Vasco da Gama até junho do próximo ano. Estas obras na frente marítima de Sines estão a transformar a Av. Vasco da Gama num grande passeio público ribeirinho, vocacionado para os peões e para as atividades de cultura e lazer, beneficiando também o FMM Sines a partir de 2013. • Um dia de música totalmente gratuito Quarta-feira, 25 de julho, noite inaugural do segundo fim de semana, terá um formato especial, com dois concertos (um no Castelo e outro junto à praia), ambos de entrada livre. O QUE TEM SINES PARA OFERECER EM 2012 • De Béla Fleck a Hugh Masekela, de Oumou Sangaré a Mari Boine, concertos com génios da música popular mundial O programa do FMM Sines 2012 oferece ao público a oportunidade de ver alguns dos músicos mais importantes da música popular mundial, consagrados pelo público e pela crítica e com um contributo que deixa marca na história dos universos em que cada um se move. Logo no dia de abertura, quinta-feira, 19 de julho, o Castelo é palco para o concerto com a banda do músico americano Otis Taylor, criador do “trance-blues”, blues com digressões psicadélicas, e um dos maiores inovadores do género na atualidade. No sábado, 21 de julho, Sines recebe o encontro entre a maliana Oumou Sangaré e o americano Béla Fleck. Oumou é uma das maiores cantoras africanas de todos os tempos e Béla Fleck, vencedor de 14 Grammys e o artista nomeado para mais categorias diferentes na história destes prémios, é um forte candidato ao título de maior banjoísta de sempre. Logo após o concerto de Oumou Sangaré e Béla Fleck, o nova-iorquino Marc Ribot, um dos maiores guitarristas da atualidade, apresenta-se com o seu projeto mais emblemático, Los Cubanos Postizos, baseado em repertório latino-americano. Dia 27 de julho, sexta-feira, Sines orgulha-se de receber a norueguesa Mari Boine, voz do povo Sami do norte da Escandinávia e uma das cantautoras mais importantes da folk europeia das últimas três décadas. Sábado, 28 de julho, dois gigantes de África passam pelo Castelo de Sines: o trompetista e cantor sul-africano Hugh Masekela, expoente do jazz e uma das figuras morais da cultura e da sociedade do seu país, e o baterista nigeriano Tony Allen, braço direito de Fela Kuti na revolução Afrobeat, que traz a Sines o seu novo projeto, “Black Series”, com a parceria do americano Amp Fiddler, teclista e cantor dos Parliament-Funkadelic. • De Bombino a Fatoumata Diawara (na foto), de Gurrumul a Dhafer Youssef, concertos com as novas estrelas da música sem fronteiras Mais ou menos jovens, há artistas que estão a viver um momento de plena afirmação da sua carreira e de conquista de novos públicos. Sines volta a ser um dos melhores palcos para recebê-los e apresentá-los em concertos que são, em vários casos, estreias absolutas em Portugal. No dia inaugural, quinta-feira, 19 de julho, Sines acolhe a revelação Bombino, guitarrista e vocalista nascido no Níger, que representa a nova geração da música de tradição tuaregue, na linha de outros grandes grupos do deserto do Sahara, como Tinariwen e Tartit, que o festival recebeu em anos anteriores. Também no dia 19, o grupo Narasirato, das Ilhas Salomão, mostra a música tradicional do Pacífico na sua estirpe mais festiva e comunicativa, capaz de envolver todos os tipos de público, como se provou com as suas presenças em grandes festivais de rock europeus como Roskilde e Glastonbury. No dia 20 de julho, sexta-feira, o grupo instrumental finlandês Frigg traz violinos e muito mais com a sua música no estilo Nordgrass, um cruzamento entre folk nórdica, bluegrass e elementos de música celta. Para quinta-feira, 26 de julho, já no segundo fim de semana, está reservada uma noite de estado de graça no Castelo, com a audácia dos líderes do movimento “tango de rutura”, os argentinos Astillero, a sensibilidade do músico aborígene australiano Geoffrey Gurrumul Yunupingu, “a voz mais importante da Austrália” para a revista Rolling Stone, e o charme da maliana Fatoumata Diawara, a jovem artista africana que todos querem vier, vencedora da categoria Revelação dos últimos prémios de “world music” da revista britânica Songlines. Ainda a 26 de julho, mas já no palco do Pontal, os bósnios Dubioza Kolektiv mostram com os seus ritmos balcânicos com influências do hip hop e da música da Jamaica porque são uma das bandas mais populares da Europa de Leste. Para o dia seguinte, sexta-feira, 27 de julho, no Castelo, está marcado um concerto a não perder com o quarteto do alaudista e cantor tunisino Dhafer Youssef, cuja estética é uma síntese entre a música árabe e o jazz europeu. No sábado, 28 de julho, a loucura saudável do canadiano Socalled, um músico situado entre os universos da tradição judaica e do hip hop, faz-se ouvir num concerto no palco do Pontal. O concerto final no Castelo, nesse mesmo dia, estará a cargo de Jupiter. Com uma carreira já longa, Jupiter só agora começa a ter o reconhecimento que merece fora do seu país, e promete, com a sua orquestra Okwess International, um concerto de trance congolesa no seu melhor. • Europeus com africanos, árabes com americanos, humanos com máquinas… Se o movimento de globalização pode significar uniformização e perda de diversidade cultural, também pode facilitar diálogos criativos que não aconteceriam sem a facilidade de comunicação que temos nos nossos dias. O FMM Sines 2012 é especialmente rico nestes encontros entre tradições e realidades estéticas aparentemente distantes. No dia 20 de julho, sexta-feira, Sines recebe o ensemble Al-Madar, um projeto da New York Arabic Orchestra composto pelo multi-instrumentista libanês Bassam Saba e quatro músicos americanos. A fusão entre as músicas árabes e a envolvente rítmica de Nova Iorque (funk, soul, rock, afro-latinidade) é a proposta. Também no dia 20 de julho, veremos como resulta o projeto conjunto entre o tunisino Lotfi Bouchnak, um dos maiores cantores do mundo árabe, e a banda franco-italiana L’Enfance Rouge, grupo de referência do art rock europeu. Na mesma noite, o Castelo vai dançar ao som de Clorofila + Los Mezcaleros de La Sierra (Nortec Collective), cuja música representa a cultura da cidade de Tijuana, na fronteira entre o México e os EUA, juntando eletrónica e tradições do norte mexicano. No sábado, 21 de julho, a grande música da Etiópia é celebrada através do encontro entre a orquestra suíça Imperial Tiger Orchestra e a cantora Hamelmal Abate, uma das divas daquele país africano. Na mesma noite, naquele que será o concerto de encerramento do primeiro fim de semana do festival, o público do Castelo vai dançar ao som de Shangaan Electro, uma transformação eletrónica e supersónica da dança tradicional “shangaan” da província sul-africana do Limpopo. No segundo fim de semana, o dia com mais cruzamentos é sexta-feira, 27 de julho, com três encontros euro-africanos a não perder: Kouyaté-Neerman, projeto nas fronteiras entre o jazz, o rock alternativo e a música tradicional, com a participação do griot maliano Lansiné Kouyaté e do músico francês David Neerman; Zita Swoon Group, banda belga liderada pelo músico Stef Kamil Carlens que se estreia em Sines com um disco concebido no Burkina Faso com os griots mandingas Awa Démé e Mamadou Diabaté Kibié; e JuJu, um dos projetos de cruzamento de culturas mais premiados da música mundial, com o britânico Justin Adams, guitarrista de Robert Plant, e o griot gambiano Juldeh Camara. • De Dead Combo a Lirinha, música portuguesa e em português de braços abertos para o mundo A programação do festival inclui no seu alinhamento uma dezena de concertos com música portuguesa e dos países com ligações históricas e culturais a Portugal. Amélia Muge, uma das mais importantes cantautoras portuguesas, abre o FMM Sines 2012, na quinta-feira, dia 19 de julho, no Castelo, com o seu projeto “Periplus”, realizado em parceria com o músico grego Michales Loukovikas. No mesmo dia, sobe ao palco uma das figuras mais importantes da marrabenta moçambicana, o cantor Wazimbo. Na sexta-feira, 20 de julho, também no Castelo, dois dos músicos mais talentosos da pop rock portuguesa, a cantora Ana Deus e o guitarrista Alexandre Soares, apresentam o seu novo projeto, Osso Vaidoso. Sábado, 21 de julho, é o dia de um dos acontecimentos do festival: a estreia ao vivo da dupla portuguesa Dead Combo com um dos músicos que mais influenciou a sua estética musical, o guitarrista americano Marc Ribot, presente em Sines para um outro concerto, com o seu projeto Cubanos Postizos. Já no segundo fim de semana, quinta-feira, dia 26 de julho, o dia de música no Castelo é aberto por Couple Coffee, projeto da cantora Luanda Cozetti e do baixista Norton Daiello, músicos brasileiros radicados em Portugal. Minutos depois, no palco do Pontal, atuam Uxu Kalhus, um dos grupos portugueses de músicas e danças de raiz tradicional mais poderosos ao vivo. O septeto Diabo a Sete, uma das bandas mais importantes da folk portuguesa atual, está no Castelo no dia seguinte, sexta-feira, 27 de julho. A Orquestra Todos, projeto com músicos imigrantes de várias origens que mostra a multiculturalidade de Lisboa, pode ser vista no sábado, 28 de julho, no Castelo. O brasileiro Lirinha, uma das figuras da “MPB indie”, depois da sua presença em Sines em 2006 com o Cordel do Fogo Encantado, regressa com o seu projeto a solo para o concerto de encerramento do festival, no dia 28, no palco do Pontal. • Uma noite extra, totalmente de entrada livre, com música de Itália e Cabo Verde A programação do FMM Sines 2012 terá uma noite de música de formato especial, quarta-feira, 25 de julho, com um espetáculo de longa duração no Castelo, e um concerto no palco junto à praia, que inaugura este recinto do festival nesta edição. Ambos os espetáculos são de entrada livre. O espetáculo no Castelo, a partir das 22h00, será realizado pelo Ensemble Notte della Taranta, que trará a Sines a essência de um dos mais importantes festivais de música popular realizados em Itália, no caso na região da Apúlia (Puglia), berço da “pizzica”, música de transe utilizada pelos camponeses para cura da picadela da tarântula (taranta). Trata-se de um espetáculo com o apoio da Fondazione La Notte della Taranta. O concerto junto à praia, a partir das 00h30, estará a cargo de Bilan, um dos mais interessantes músicos cabo-verdianos da nova geração. Menção ainda para outro concerto de entrada livre, no dia anterior, 24 de julho, no auditório do Centro de Artes de Sines, com a dupla americana de voz e viola Jessika Kenney & Eyvind Kang. ALINHAMENTO DOS CONCERTOS DISTRIBUIÇÃO POR PALCOS E HORÁRIOS 19 DE JULHO (QUINTA) 19h00 (Castelo): AMÉLIA MUGE & MICHALES LOUKOVIKAS “PERIPLUS” (PORTUGAL / GRÉCIA) 21h45 (Castelo): WAZIMBO (MOÇAMBIQUE) 23h15 (Castelo): OTIS TAYLOR BAND (EUA) 00h45 (Castelo): BOMBINO (NÍGER - POVO TUAREGUE) 02h15 (Castelo): NARASIRATO (ILHAS SALOMÃO) 20 DE JULHO (SEXTA) 19h00 (Castelo): OSSO VAIDOSO (PORTUGAL) 21h45 (Castelo): AL-MADAR (LÍBANO / EUA) 23h15 (Castelo): L'ENFANCE ROUGE & LOTFI BOUCHNAK (FRANÇA / ITÁLIA / TUNÍSIA) 00h45 (Castelo): FRIGG (FINLÂNDIA) 02h15 (Castelo): NORTEC COLLECTIVE PRESENTS: CLOROFILA + LOS MEZCALEROS DE LA SIERRA (MÉXICO) 21 DE JULHO (SÁBADO) 19h00 (Castelo): DEAD COMBO FEAT. MARC RIBOT (PORTUGAL / EUA) 21h45 (Castelo): MARC RIBOT Y LOS CUBANOS POSTIZOS (EUA) 23h15 (Castelo): OUMOU SANGARÉ & BÉLA FLECK (MALI / EUA) 00h45 (Castelo): IMPERIAL TIGER ORCHESTRA & HAMELMAL ABATE (SUÍÇA / ETIÓPIA) 02h15 (Castelo): SHANGAAN ELECTRO (ÁFRICA DO SUL) 24 DE JULHO (TERÇA) 22h00 (Centro de Artes): JESSIKA KENNEY & EYVIND KANG (EUA) 25 DE JULHO (QUARTA) 22h00 (Castelo): ENSEMBLE LA NOTTE DELLA TARANTA (ITÁLIA - APÚLIA) 00h30 (Pontal): BILAN (CABO VERDE) 26 DE JULHO (QUINTA) 18h45 (Castelo): COUPLE COFFEE (PORTUGAL / BRASIL) 20h00 (Pontal): UXU KALHUS (PORTUGAL) 21h45 (Castelo): ASTILLERO (ARGENTINA) 23h15 (Castelo): GURRUMUL (AUSTRÁLIA - POVO ABORÍGENE) 00h45 (Castelo): FATOUMATA DIAWARA (MALI) 02h30 (Pontal): DUBIOZA KOLEKTIV (BÓSNIA-HERZEGOVINA) 04h00 (Pontal): DJS - EKA [ UNITY ] PRESENTS SMELLS LIKE CURRY (PORTUGAL) 27 DE JULHO (SEXTA) 18h45 (Castelo): DIABO A SETE (PORTUGAL) 20h00 (Pontal): KOUYATÉ-NEERMAN (FRANÇA / MALI) 21h45 (Castelo): DHAFER YOUSSEF QUARTET (TUNÍSIA) 23h15 (Castelo): MARI BOINE (NORUEGA - POVO SAMI) 00h45 (Castelo): ZITA SWOON GROUP (BÉLGICA / BURKINA FASO) 02h30 (Pontal): JUJU (GÂMBIA / REINO UNIDO) 04h00 (Pontal): DJS – IRMÃOS MAKOSSA (PORTUGAL) 28 DE JULHO (SÁBADO) 18h45 (Castelo): ORQUESTRA TODOS (PORTUGAL) 20h00 (Pontal): SOCALLED (CANADÁ) 21h45 (Castelo): HUGH MASEKELA (ÁFRICA DO SUL) 23h15 (Castelo): TONY ALLEN'S “BLACK SERIES” FEAT. AMP FIDDLER (NIGÉRIA / EUA) 00h45 (Castelo): JUPITER & OKWESS INTERNATIONAL (R. D. CONGO) 02h30 (Pontal): LIRINHA (BRASIL) 04h00 (Pontal): DJS - BAILARICO SOFISTICADO (PORTUGAL) INICIATIVAS PARALELAS Em 2012, o FMM Sines volta a apresentar um programa de iniciativas paralelas, com artes, letras, ateliês, debates e sessões de DJs que enriquecem a componente de concertos do festival. Entre 13 de julho e 29 de setembro, no Centro de Artes de Sines e Centro Cultural Emmerico Nunes, realiza-se a exposição “Shoreline – Artes Plásticas na Coleção do Ar.Co”, com obras da coleção de uma das mais importantes escolas de arte portuguesas. A exposição é inaugurada dia 13, às 18h00, e pode ser visitada todos os dias, entre as 14h00 e as 20h00. A entrada é livre. Trata-se de uma parceria entre o Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, a Câmara Municipal de Sines e o Centro Cultural Emmerico Nunes. A Capela da Misericórdia recebe, entre 19 e 28 de julho, uma Feira do Livro e do Disco, em parceria com a livraria a das artes e a loja VGM. A feira está aberta entre as 17h00 e as 2h00 nos períodos 19-21 e 25-28 de julho e entre as 18h00 e as 00h00 nos dias 22, 23 e 24 de julho. No âmbito da iniciativa Contos de Tantos Mundos, a narração oral estará em destaque no Centro de Artes de Sines com sessões de contos por Clara Haddad (dia 19, às 17h00), Contabandistas (dias 20 e 26, às 17h15), Thomas Bakk (dia 22, às 18h00), Paula Cusati e Fernando Malão (dia 23, às 18h00), Carlos Marques (dia 25, às 17h00) e Cristina Taquelim (dia 28, às 17h00). Todas as sessões são de entrada livre. Ainda na programação centrada na palavra, no dia 27 de julho, às 17h00, também no Centro de Artes de Sines, realiza-se um encontro com os escritores João Tordo e David Machado, dois dos autores mais representativos das novas letras portuguesas. É uma parceria com a livraria a das artes. Já um clássico da programação de iniciativas paralelas do festival, os ateliês para crianças dos 6 aos 12 anos regressam em 2012, com artistas do festival e não só: Narasirato (dia 19), L’Enfance Rouge & Lotfi Bouchnak (dia 20), Oumou Sangaré (dia 21), Histórias Magnéticas – Sérgio Pelágio e Isabel Gaivão (dia 23), Bilan (dia 25), Lirinha (dia 26), Kouyaté-Neerman (dia 27) e Jupiter (dia 28). Os ateliês realizam-se às 11h30, com exceção das Histórias Magnéticas, às 15h00. A participação é gratuita, mas requer marcação no balcão do Centro de Artes (tel. 269 860 080). Para os bebés está programada a iniciativa Lullababies: Laboratório de Canções de Embalar, com Sandra Passarello, nos dias 19, 20 e 21 de julho, às 10h00, na blackbox do Centro de Artes de Sines. Os destinatários são pais e bebés, educadores de infância e professores, que se devem inscrever, gratuitamente, no balcão do Centro de Artes de Sines (tel. 269 860 080). O ciclo de cinema documental tem este ano programados os seguintes filmes: “Agadez, the Music and the Rebellion”, de Ron Wyman (dia 20), “Os Filhos de Benkos”, de Lucas Silva (dia 21), “Banaras: Music of the Ganges”, de Yves Billon (dia 26), “The Creators”, de Laura Gamse (dia 27) e “Nôs Terra”, de Toni Polo, Nuno Pedro e Ana Tica (dia 28). As sessões, de entrada livre, têm início às 15h30, no auditório do Centro de Artes de Sines. O ciclo tem o apoio Groovalizacion e Zaradoc Films. No dia 21 de julho, às 17h00, no Centro de Artes de Sines, partindo dos casos recentes do Sudão do Sul e dos tuaregues de Azawad, Rui Tavares (eurodeputado) e Pedro Matos (Nações Unidas) conversam sobre o tema “A criação de novos países e a ideia de identidade nacional”. A entrada é livre. Nos dias 24 e 25 de julho, em duas sessões com início às 17h30, realiza-se o ateliê “I Hate World Music!”, uma organização da Câmara Municipal de Sines e da Unipop. Este ateliê, que parte de um texto de David Byrne com o mesmo título, vai debater as práticas de classificação de género na música e os seus efeitos sobre a própria prática musical. Para a mesa-redonda de dia 24 estão confirmadas as presenças de Manuel Deniz Silva (musicólogo), JP Simões (músico), Raquel Bulha (jornalista e apresentadora do programa «Planeta 3», da Antena 3), Afonso Cortez (investigador e editor da coletânea Portuguese Nuggets) e Marta Lança (editora e programadora do projeto Buala). A programação de DJs, no palco do Pontal, entre 26 e 28 de julho, às 4h00, conta com dois regressos e uma estreia. A estreia acontece logo no dia 26, com EKA [unity] presents SOUNDS LIKE CURRY, um “live act” onde as sonoridades da Índia Clássica se juntam à música de dança eletrónica. No dia 27, a dupla de DJs Irmãos Makossa traz os melhores ritmos africanos a Sines. No dia 28 (ou mais exatamente na madrugada, até ao nascer do sol, de dia 29), é ao Bailarico Sofisticado, como em edições anteriores, que cabe soltar a música do baile final do FMM Sines 2012. ENTRADAS Bilhetes para os concertos noturnos no Castelo (a partir das 21h45) Bilhete diário: 15 euros / dia Passe 1.º fim de semana (19-21 de julho): 35 euros Passe 2.º fim de semana (26-28 de julho): 35 euros Entrada permanente: 65 euros IVA incluído à taxa legal em vigor Concertos gratuitos Concertos no palco do Pontal Concertos das 18h45 / 19h00 no Castelo Concerto especial de dia 25 de julho no Castelo Concerto no Centro de Artes de Sines APOIOS O FMM Sines 2012 é cofinanciado pela Rede Urbana Mobilidade Inovação e Memória / Rede de Cidades do Litoral Alentejano, no âmbito do programa operacional INALENTEJO do QREN 2007-2013, com fundos FEDER / UE. Conta também com o apoio em mecenato da Galp Energia – Refinaria de Sines, entre outras entidades. MAIS INFORMAÇÕES www.fmm.com.pt www.facebook.com/fmmsines»

21 junho, 2012

Clube Conguito e You Can't Win, Charlie Brown no MED de Loulé

A dupla de DJs Clube Conguito -- formada por Rodrigo Madeira e, pois, o autor deste blog -- volta a encerrar o MED de Loulé, na noite de sábado, 30 de Junho. Outro nome acrescentado entretanto ao cartaz é o dos You Can't Win, Charlie Brown (na foto). O comunicado: «You Can’t Win, Charlie Brown substituem Miguel Araújo no Festival Med Por motivos alheios à organização do Festival Med, o espetáculo do artista Miguel Araújo, que subiria dia 30 de junho ao palco Cerca para apresentar o seu álbum de estreia, foi cancelado. Em substituição atuarão no mesmo dia os promissores talentos da nova música portuguesa You Can’t Win, Charlie Brown, considerados por muitos a banda revelação 2011. Não sendo possível contar com a atuação de Miguel Araújo, por motivos pessoais, a organização optou pela escolha da banda You Can’t Win, Charlie Brown. Este grupo composto por seis bons rapazes lisboetas irá apresentar nesta próxima edição do Med o seu álbum de estreia «Chromatic». Este disco que viaja por entre variadas influências que vão deste melodias dançáveis, enérgicas, tribais, até levemente pop, contou com a participação da belíssima voz de Márcia no tema «A while can be a long time». Os You Can’t Win, Charlie Brown foram a única banda portuguesa a ser selecionada para participar no prestigiado festival South By Southwest 2012, em Austin no Texas. Estas e outras atuações têm trazido à banda grande reconhecimento nacional e internacional. O Med vai ser palco de mais um grande espetáculo deste grupo que promete conquistar os quatro cantos do mundo. A estreia mundial do projeto A Curva da Cintura com Arnaldo Antunes, Toumani Diabaté e Edgard Scandurra, SMOD, Sany Pitbull, A Jigsaw, Norberto Lobo, JAMAICAN LEGENDS com Ernest Ranglin, Monty Alexander e Sly & Robbie, BOUBACAR TRAORÉ, PAUS, Cheikh Lô, Throes + The Shine, A Caruma e You Can’t Win, Charlie Brown são os nomes já confirmados até à data. No fim do mês de junho o centro histórico de Loulé volta a encher-se de sons e sabores dos quatro cantos do mundo, representados pelas mais variadas manifestações artísticas, tendo sempre a música como tema central deste festival. Os bilhetes já se encontram à venda no Cine–Teatro Louletano e na FNAC do Algarve Shopping. Nos dias do evento os ingressos poderão também ser adquiridos à entrada do recinto. O bilhete diário custa 12€.». Mais informações sobre o MED de Loulé, aqui.

13 junho, 2012

FMM de Sines Recebe La Notte della Taranta

Depois de, em 2009, o espectáculo "La Notte della Taranta" ter ficado como um dos melhores de sempre do MED de Loulé, este ano é a vez de Sines receber a grande celebração das danças tradicionais italianas (com destaque para a pizzica e a tarantela). É de pôr a cabeça à roda a toda a gente! «Espetáculo La Notte della Taranta em dia extra de entrada livre no FMM Sines 2012 O programa de concertos do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo 2012 terá um dia extra, 25 de julho, quarta-feira. No Castelo de Sines, a noite será preenchida com um espetáculo pelo Ensemble La Notte della Taranta, que transporta para o palco a essência de um dos mais importantes festivais italianos de música popular. A entrada é livre. O Castelo de Sines recebe, na noite de quarta-feira, 25 de julho, às 22h00, um espetáculo especial que sintetiza o melhor de um dos mais importantes festivais italianos, La Notte della Taranta. A música de La Notte della Taranta chega-nos da “salto da bota” da Península Itálica, a região de Salento, na Apúlia (Puglia), e baseia-se na tradição da “pizzica”, uma dança tradicional muito veloz, utilizada pelos camponeses como tratamento para a picada da tarântula (“taranta”, em italiano). Desde 1998, música de transe com origem nesta dança é tocada, cantada e bailada, em agosto, num grande festival distribuído por várias povoações do Salento e com um concerto final na vila de Melpignano, em que têm participado como diretores musicais grandes nomes da música italiana e internacional (Piero Milesi, Ludovico Einaudi, Joe Zawinul e Stewart Copeland, entre outros). O que veremos em Sines é um ensemble composto por alguns dos músicos que mais ativamente têm participado neste festival, uma síntese do melhor da sua experiência de 14 anos e dos arranjos que os vários diretores têm feito na transformação do repertório original. Pela sua atividade na difusão cultural da “pizzica” no mundo, que continua agora em Sines, o grupo recebeu a cidadania honorária da Grecìa Salentina, uma área do Salento onde se fala o “griko”, um dialeto do grego, e que é o coração desta tradição musical. O seu espetáculo no FMM, com entrada livre, é possível com o apoio da FONDAZIONE LA NOTTE DELLA TARANTA. O FMM SINES O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo é o maior evento de “world music” e outras músicas realizado em Portugal. Em 2012, o programa de concertos decorre em dois períodos: 19 a 21 de julho (1.º fim de semana) e 25 a 28 de julho (2.º fim de semana). O programa de iniciativas paralelas decorre entre 19 e 28 de julho. O alinhamento de concertos é um dos mais fortes da história do evento. Consagrados como Hugh Masekela, Mari Boine, Béla Fleck, Oumou Sangaré, Tony Allen e Marc Ribot e jovens estrelas como Fatoumata Diawara, Bombino e Gurrumul são alguns dos artistas confirmados para esta edição do festival. O FMM Sines 2012 é cofinanciado por fundos FEDER / União Europeia, no âmbito do programa operacional INALENTEJO do QREN 2007-2013, e tem o apoio da Galp Energia – Refinaria de Sines. Mais informações www.fmm.com.pt www.facebook.com/fmmsines»

10 junho, 2012

Cesária Évora - A Homenagem no Coliseu dos Recreios

Dia 15 de Junho, o Coliseu dos Recreios, em Lisboa, é o palco de uma sentida homenagem a Cesária Évora, com músicos e cantores oriundos de Cabo Verde (em natural maioria), Portugal e Angola a recordarem o legado inestimável da «Diva dos Pés Descalços». O comunicado: «HOMENAGEM A CESÁRIA ÉVORA 15 Junho 2012 | Coliseu dos Recreios Aquele que viria a ser, o último concerto de Cesaria Evora em Portugal, aconteceu em Maio de 2010 no Coliseu dos Recreios. A emblemática sala de Lisboa, tantas vezes testemunho da sua calorosa presença, é agora escolhida para palco do grandioso espetáculo em sua homenagem, a 15 de Junho 2012. Como pano de fundo, os seus músicos, aqueles que, tournée após tournée, a acompanharam a levar o seu Cabo Verde à distância da Sodade. O alinhamento, baseado no seu próprio repertório, será alvo de singulares e sentidas interpretações, momentos de espontâneos duetos, nas vozes de Bonga, Celeste Rodrigues, Lura, Maria Alice, Nancy Vieira, Sara Tavares, Teófilo Chantre e Tito Paris. Lisboa e Mindelo, dois portos de mar no Atlântico, com a Saudade em comum. Dois berços de géneros musicais, que pela comum miscigenação, retratam igualmente a alma e quotidiano dos seus povos: Fado e Morna. Perpetuar o nome e vontade de Cesaria Evora, continuar a encantar o seu público com as suas melodias, percorrer o caminho que encurtou entre o seu Cabo Verde e o mundo, é hoje também vontade de quantos a rodearam diariamente, da equipa de trabalho, aos músicos, aos artistas, aos próprios produtores de muitas das salas e festivais por onde passou.» Mais pormenores, aqui.

05 junho, 2012

MED de Loulé 2012 - Também Meia-Dúzia!

Este blog, hoje, joga sempre à melhor de seis. Depois de meia-dúzia de nomes novos confirmados para o FMM de Sines, é a vez de o MED de Loulé também avançar com mais seis grupos/artistas/projectos -- entre os quais Jamaican Legends, onde se inclui a maravilhosa dupla rítmica Sly Dunbar/Robbie Shakespeare (na foto) -- que aterram no Algarve em finais de Junho: «Festival MED 2012 – 29 e 30 de Junho Novos nomes confirmados no Festival MED 2012 JAMAICAN LEGENDS com Ernest Ranglin, Monty Alexander e Sly & Robbie, BOUBACAR TRAORÉ, PAUS, Cheikh Lô, Throes + The Shine e A Caruma são os novos nomes confirmados para a próxima edição do Festival Med Loulé, 05 de junho de 2012 – Juntam-se hoje aos artistas já confirmados mais seis nomes para a 9ª edição do Festival Med, um dos mais conceituados eventos de World Music realizado no nosso País. A 29 e 30 de junho o centro histórico da cidade de Loulé transforma-se num palco de sons, sabores, experiências culturais e expressões artísticas dos quatro cantos do mundo. JAMAICAN LEGENDS com Ernest Ranglin, Monty Alexander e Sly & Robbie, BOUBACAR TRAORÉ, PAUS, Cheikh Lô, Throes + The Shine e A Caruma, juntam-se aos Já confirmados A Curva da Cintura com Arnaldo Antunes, Toumani Diabaté e Edgard Scandurra, SMOD, Sany Pitbull, A Jigsaw e Norberto Lobo. A atuação de JAMAICAN LEGENDS com Ernest Ranglin, Monty Alexander e Sly & Robbie é um daqueles momentos explosivos que não se pode perder na próxima edição do Med. Esta união que reúne em palco três grandes mestres de World Music tem como objetivo celebrar o 50º aniversário da independência da Jamaica. Numa digressão mundial, que terá lugar apenas este ano, o trio promete aquecer os palcos com a exploração de variadas vertentes do reggae. Este espetáculo único terá lugar dia 30 de junho no palco Matriz. Neste mesmo dia sobe ao palco Cerca o incontornável artista do blues africano, BOUBACAR TRAORÉ. O cantor, compositor e guitarrista malinense desenvolveu um estilo único e inimitável, profundamente inspirado no som do kora. Para além destas influências os seus temas levam-nos para sonoridades e letras que lembram alguns grandes bluesmen americanos como Blind Willie McTell, Robert Johnson e Muddy Waters. Este será com certeza um dos momentos fortes do festival. Cheikh Lô, singular cantor, compositor guitarrista, percussionista e baterista senegalês, considerado por muitos como um dos mais brilhantes músicos africanos das últimas duas décadas, irá atuar dia 29 de junho no palco Matriz. Através da sua voz quente chegam-nos influências de África Ocidental e Central, como o Mbalakh, incorporado com ritmos cubanos, reggae, música brasileira, entre várias outras fusões. Os PAUS são mais um dos nomes nacionais confirmados para a 9ª edição do Festival, Med. Este surpreendente quarteto que reúne quatro grandes artistas portugueses, Joaquim Albergaria, Hélio Morais, Makoto Yagyu e João Pereira, vai apresentar o seu álbum de estreia em Loulé no dia 29 de junho, no palco Cerca. A atuação deste inovador projeto promete impressionar o público com o surpreendente som da bateira siamesa com que se apresenta. Rockuduro é o rebento primogénito, fruto da união de facto entre o rock de um power-duo portuense (os Throes) e a energia debitada sem trepidez de uns angolanos com pêlos nas guelras (The Shine). Marco Castro, Diron, André do Poster e Igor Domingues já partilharam palcos com grandes músicos como Battles, HEALTH, Spoek ou Mathambo e preparam-se agora para surpreender o mundo com os seus ritmos de festa. O encontro destes dois projetos, Throes + The Shine, é para ser presenciado dia 29 de junho no palco Castelo. Já no dia 30 de junho o palco Cerca vai ser invadido pela alegria contagiante do pop-marialva traçada a tinto fanfarra com tiques à Emir Kusturica da banda portuguesa A Caruma. Rui Costa (Silence 4, Filarmónica Gil), Carlos Martins (Umpletrue, The Clits, Annette Blade), Pedro Santos (Silence 4, Filarmónica Gil), José Carlos (Dapunksportif, Umpletrue) e ainda a emergente Ana Santo na voz secundária, são os membros que compões esta banda oriunda da Marinha Grande. Através da utilização de um português escolhido a dedo entre o rico léxico da língua portuguesa, os seus temas irónicos, reativos e provocadores prometem conquistar o público do Med. Os bilhetes já se encontram à venda no Cine–Teatro Louletano e na FNAC do Algarve Shopping. O bilhete diário custa 12,00 €.

FMM de Sines - Venham Mais Seis!

Sim, porque há mais uma meia-dúzia de nomes a juntar a todos os outros que já são conhecidos da edição 2012 do FMM de Sines. O comunicado: «Do norte da Europa à África do Sul, mais seis concertos confirmados no FMM Sines 2012 Há mais música confirmada na 14.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, a realizar em Sines em julho. Da América do Norte, mas com ligações ao Médio Oriente, chega Al-Madar, um projeto dirigido pelo libanês Bassam Saba onde a música árabe se funde com a vivência cultural de Nova Iorque. Da América Central, confirmamos a presença de Clorofila (Nortec Collective), um dos grandes inovadores da música de dança mexicana. O septeto instrumental finlandês Frigg, com influências de bluegrass e música celta, e os bósnios Dubioza Kolektiv, uma das melhores bandas da região do Adriático, representam a Europa. Finalmente, de África chegam Shangaan Electro, um fenómeno da música de dança sul-africana, e Wazimbo, um dos cantores históricos da marrabenta moçambicana. 19 DE JULHO: WAZIMBO (MOÇAMBIQUE) Nascido em 1948, Wazimbo é reconhecido desde a década de 1960 como um dos cantores fundamentais da marrabenta, estilo urbano desenvolvido em meados do século XX no sul de Moçambique. Entre 1979 e 1995, foi o vocalista principal da Orquestra Marrabenta Star de Moçambique, com a qual gravou dois discos pela editora alemã Piranha que o apresentaram ao público mundial. A sua carreira a solo conta já com dois álbuns (“Makwero” em 1998 e “Nwahulwana em 2001) e está previsto um novo para este verão. Em palco, é capaz de nos derreter com uma balada como “Nwahulwana”, a sua canção mais conhecida, e de dar cadeiras aos ouvintes mais descadeirados com a sua música de dança feita com guitarras, percussão tradicional e metais. 19 DE JULHO: AL-MADAR (LÍBANO / EUA) O ensemble Al-Madar é um projeto da New York Arabic Orchestra, liderada pelo libanês Bassam Saba, multi-instrumentista virtuoso (no oud, no nay, no saz, na flauta ocidental e no violino) e um dos mais respeitados professores das músicas árabes. Em Sines, será acompanhado por quatro músicos: dois deles, April Centrone (bateria e percussões) e Timba Harris (violino e trompete), estiveram em Sines em 2011 com os alternativos Secret Chiefs 3, e os outros dois são Gyan Riley (guitarras) e Brian Holtz (baixo elétrico). Trazem-nos música árabe fundada em 3 mil anos de tradição mas moldada pela experiência rítmica nova-iorquina (funk, soul, rock, afro-latinidade). No plano de viagem há um mapa - o disco “Wonderful Land” (2010), de Bassam Saba - mas espaço à aventura, através da arte árabe do improviso, o “taqsim”, e da liberdade de músicos que falam todas as línguas. 20 DE JULHO: FRIGG (FINLÂNDIA) Juntos há mais de 10 anos, os sete instrumentistas da banda finlandesa Frigg (na foto, de Anne Yrjana), todos com treino clássico, desenvolvem um estilo de música próprio, o Nordgrass, que é uma combinação de folk nórdica, bluegrass americano e elementos de música irlandesa. Têm cinco discos (o sexto deve chegar este verão) e muita estrada debaixo dos pés, em especial junto dos públicos dos EUA e do Canadá. Tocam sobretudo composições próprias, embora mantendo ligações ao repertório tradicional. Os quatro violinos (Alina e Esko Järvelä, Tero Hyväluoma e Tommi Asplund) são o rosto sonoro e cénico do grupo, mas não teriam a mesma potência sem o contrabaixo de Antti Järvelä, a guitarra de Tuomas Logrén e o bandolim, cistre e gaitas de Petri Prauda, que ajudam a dar fogo a uma das bandas mais refrescantes do festival. 20 DE JULHO: NORTEC COLLECTIVE PRESENTS CLOROFILA + LOS MEZCALEROS DE LA SIERRA (MÉXICO) Jorge Verdín (Clorofila), baseado na cidade de Tijuana, na fronteira entre o México e os EUA, é um dos expoentes do “nortec”, música de dança onde se fundem ritmos e sons da música norteña e de banda com música eletrónica e instrumental. Clorofila integra o coletivo de DJs Nortec Collective desde 1999 e esteve presente como músico e diretor de arte nos álbuns “The Tijuana Sessions Vol. 1” (2001) e “Tijuana Sessions Vol. 3” (2005). Nortec Collective, que desde 2007 não tem atividade como grupo, continua a viver através dos projetos individuais dos seus DJs: em 2008, Sines recebeu Bostich e Fussible, e, em 2012, é Clorofila, com o ensemble de metais Los Mezcaleros de la Sierra. O seu álbum a solo, “Corridos Urbanos” (2010), reflete a sua visão pessoal do género, que integra baixo, guitarras e arranjos de cordas experimentais. 21 DE JULHO: SHANGAAN ELECTRO (ÁFRICA DO SUL) Conhecido do público europeu através de uma compilação de 2010 da editora britânica Honest Jon’s, o projeto Shangaan Electro foi criado em 2005. É uma transformação digital, com uma aceleração acima das 180 batidas por minuto, do shangaan tradicional da província sul-africana do Limpopo. Nozinja (ou “Dog”) é o líder e o faz-tudo do grupo: dono do estúdio e da editora do Soweto onde os Shangaan Electro gravam, olheiro, engenheiro de som, compositor, motorista, cantor… Em palco é ele o MC, tendo à sua frente bailarinos com vestes entre o tradicional e o clownesco num combate de dança supersónica que não dá descanso a pernas e a glúteos. 26 DE JULHO: DUBIOZA KOLEKTIV (BÓSNIA-HERZEGOVINA) Nascida em 2003, a banda Dubioza Kolektiv é constituída por sete elementos que começaram a fazer música nos abrigos subterrâneos, durante a guerra na Bósnia. Funde folclore bósnio com hip hop, reggae, dub e rock e tem um caráter de intervenção política assumida. O lançamento do seu álbum “Firma Illegal” (2008), manifesto contra a corrupção, foi feito em frente ao parlamento bósnio, e, em 2010, trabalharam para aumentar a participação dos jovens nas eleições. Hoje são uma das bandas ao vivo mais populares da Europa de Leste, nomeados para um prémio IMPALA e vencedores do melhor “act” do Adriático nos prémios MTV EMA 2011. Com “Wild Wild East”, o seu sexto álbum, de 2011, vão pôr Sines a dançar. O FESTIVAL O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo é o maior evento de “world music” e outras músicas realizado em Portugal. A sua 14.ª edição acontece nos próximos dias 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de julho. Consagrados como Hugh Masekela, Mari Boine, Béla Fleck, Oumou Sangaré, Tony Allen e Marc Ribot e jovens estrelas como Fatoumata Diawara, Bombino e Gurrumul são alguns dos artistas já confirmados para esta edição do festival, além dos descritos nesta nota. O FMM Sines 2012 é cofinanciado por fundos FEDER / União Europeia, no âmbito do programa operacional INALENTEJO do QREN 2007-2013, e tem o apoio da Galp Energia – Refinaria de Sines. Mais informações www.fmm.com.pt www.facebook.com/fmmsines»

30 maio, 2012

Musa Cascais 2012 - Muito Reggae... E Bom Ambiente!

Ah, pois é! Aqui vai: «FESTIVAL MUSA CASCAIS 2012 22 e 23 de Junho Praia de Carcavelos .::por um planeta saudável e boa música::. O FESTIVAL MUSA CASCAIS regressa este ano para mais uma edição inesquecível! Este evento único em Portugal, feito de forma independente, por todos e para todos, em regime de voluntariado e sem quaisquer fins lucrativos, é já uma referência mundial no que diz respeito à sustentabilidade ligada à música. Conta já com 13 edições com créditos firmados e reconhecidos a nível nacional e internacional e todos os anos continua a crescer e reafirmar-se junto dos festivais internacionais sustentáveis! Com uma localização de excelência e única em Portugal, o MUSA CASCAIS 2012 é um festival urbano e verde a poucos metros da praia, com acesso a transportes. A edição deste ano terá novamente lugar em frente à Praia de Carcavelos, nos dias 22 e 23 de Junho, com parque de campismo. O FESTIVAL MUSA CASCAIS está integrado na Semana da Juventude Cascais 2012 que decorre de 22 de Junho a 1 de Julho e é o pontapé de saída para a Semana da Juventude. Este ano o MUSA CASCAIS brinda toda a comunidade MUSA, a um preço acessível a todos, com um cartaz fortíssimo, carregado de estreias de um nível elevadíssimo em solo nacional, cheio de energia positiva e sustentável, boas vibrações e sempre com aquela pergunta já conhecida de todos: Preocupas-te? Para a edição de 2012, o FESTIVAL MUSA CASCAIS apresenta um dos melhores LINE UP’S do ano no panorama do reggae. O palco do MUSA CASCAIS tem confirmado 6 grandes nomes top do reggae internacional. Destes 6 nomes, 4 são estreias absolutas em Portugal: TURBULENCE, GYPTIAN, ETANA, e PROTOJE. A juntarem-se a este cartaz de estreias temos uma das últimas lendas vivas do reggae IJAHMAN LEVI e de Cabo Verde a voz inconfundível de MO’KALAMITY & THE WIZARDS (na foto, de Laura Aupiais). No palco do MUSA CASCAIS ainda iremos vibrar com as brilhantes actuações de: CHAPA DUX, HELLO ATLANTIC, JIMMY P, THE HYPERS, THE STONEWOLF BAND e VIRALATA. Para complementar o cartaz, o MUSA CASCAIS 2012 irá ter a ARENA SOUNDSYSTEM POWERED BY ROOTS DIMENSION e as BASS STATION POWERED BY BADMOOD que vão chamar até si vários soundsystems nacionais de reggae, de dubstep e drum’n’bass para enriquecer ainda mais o evento. O FESTIVAL MUSA CASCAIS 2012 junta a música e a criatividade numa experiência de cidadania global com o objectivo de se tornar uma inspiração para um lifestyle sustentável. A sustentabilidade e as alterações climáticas são os grandes desafios do nosso tempo, aos quais a Comunidade MUSA CASCAIS pretende dar uma resposta, com uma pergunta já conhecida de todos: PREOCUPAS-TE? Numa das suas atitudes sustentáveis, o MUSA CASCAIS 2012, em parceria com a Câmara Municipal de Cascais, tem oficialmente um talhão no Parque Natural Sintra-Cascais onde já começou a compensar as emissões de carbono emitidas pelo evento através da plantação de 200 árvores no passado dia 17 de Março de 2012. O FESTIVAL MUSA CASCAIS é no seu todo um evento sustentável! PREOCUPAS-TE? www.facebook.com/festivalmusacascais www.festivalmusa.org www.criativa.org BIOS ARTISTAS IJAHMAN LEVI é uma das últimas lendas vivas do reggae. Contemporâneo de Bob Marley, conta já com mais de 35 anos de carreira e 28 discos editados. Com um novo disco nas lojas, “The Ark Of The Convenant” no qual participam Leroy Leroy 'Horsemouth' Wallace, Flabba Holt, Earl 'Chinna' Smith, Lloyd 'Obeah' Denton, Chris Meredith, Gladstone Anderson e Sticky Thompson, Ijahman Levi é conhecido pelo seu reggae tradicional que com este disco ganha uma nova e refrescante vibração. TURBULENCE é, juntamente com nomes como Anthony B, Richie Spice, Capleton ou Junior Kelly, uma das figuras de frente do reggae moderno jamaicano. Descoberto por Philip “Fatis” Burrell, lendário produtor e director da Xterminator Records, editora que revelou ao mundo nomes como Sizzla, Luciano, Mickey General e muitos outros, TURBULENCE tem uma sonoridade única que combina ragga, hip-hop e R/&B como pode ser visto no single “Notorious” que deu nome ao álbum editado em 2006 e que valeu ao artista o topo das vendas de reggae e dancehall nos EUA, Jamaica, Inglaterra, Japão e Canada. Conhecido pelas suas actuações ao vivo cheias de mensagens positivas e energia, TURBULENCE é um dos nomes mais aguardados pelos fãs do reggae nacional e esta será a sua estreia em Portugal. GYPTIAN foi nomeado para Best New Entertainer nos International Reggae and World Music Awards de 2006 e tem dominado completamente os charts jamaicanos com os seus hits “Is There A Place”, “Beautiful Lady” e “Mamma, Don’t Cry”. Canta sobre política e amor e a sua escrita de canções é comparada com os grandes Sizzla, Luciano e Beres Hammond. Mas foi com o single “Hold Yuh” que Gyptian arrasou o mundo mantendo o tema 9 semanas consecutivas em primeiro lugar no chart Reggae Digital Songs e sendo incluindo num sem número de outros charts. ETANA é a princesa actual do reggae que enche estádios de futebol. Já com dois discos editados e reconhecida mundialmente, como comprovam os vários charts dos quais faz parte, a sua forte ligação com o seu público e fãs foi crescendo devido às suas mensagens de amor, luta contra as injustiças, orgulho, entre outras. A lista de prémios que angariou nesta ainda curta carreira é incrível: Best New Artist, Female Vocalist Of The Year, Reggae Singer Of The Year, Most Admired Female Artist, Cultural Artist Of The Year e vários Album Of The Year. PROTOJE é uma das últimas revelações do reggae jamaicano, tendo lançado em 2011 o seu aclamado álbum de estreia “The Seven Year Itch” que inclui os hits “Dread”, “JA” ou “Rasta Love” em dueto com Kymani Marley. O álbum foi produzido pelo seu primo e produtor Don Corleone, lendário produtor que esteve por trás do sucesso mundial de nomes como Sean Paul, Morgan Heritage, Pressure, Tarrus Riley e muitos outros. Em 2012, PROTOJE acabou de lançar o single “Who Dem A Program” que domina neste momento vários charts mundiais de reggae e prepara-se para lançar o seu segundo álbum. MO’KALAMITY & THE WIZARDS, artista originária de Cabo Verde, começou a sua carreira ao cantar na banda de King Malik. Em 2003 a sua carreira a solo ganha forma junto da sua banda The Wizards e em 2006 edita o seu primeiro disco “Warriors Of Light”. O segundo “Deeper Revolution” sai em 2011, ano em que foi nomeada nos Cabo Verde Awards nas categorias Meilleur Album Reggae, Meilleur Clip e Révélation De L’Anée. Hoje é uma das figuras femininas incontornáveis da música reggae a nível mundial. CHAPA DUX é uma banda formada em Sintra em 2008, com uma sonoridade fortemente marcada pelo balanço do Reggae, vivacidade imposta pelo Ska e consciência na improvisação do Dub. O valor desta banda foi reconhecido com a conquista do Prémio Talento 2011 do Rock Rendez Worten, ganhando assim o direito a actuar no mês de Março no monumental festival South by Southwest (SXSW) em Austin, Texas (USA). HELLO ATLANTIC nasce em 2007 na Finlândia e é uma colecção de melodias e letras escritas por João Esteves e maturadas em viagem para aqui e para lá, à boleia pela Europa e Canadá. São canções escritas sobre a distância, sobre quem fica e quem parte. Em 2011, após dois EPs partilhados em formato digital, João Esteves volta à Finlândia para produzir um terceiro trabalho. É em Helsínquia, entre velhos amigos, que os arranjos de "Slob Of The Kitchen Sea" ganham vida. Numa cidade coberta de neve, já em 2012, concluem-se as novas gravações do seu primeiro trabalho de estúdio, apoiado pela Optimus Discos. JIMMY P, dotado de um lirismo profundo, e duma musicalidade inconfundível, a diversidade do seu Rap é deveras notória, proporcionando ao ouvinte uma variedade temática que reflete não só a sua vivência consciente, mas também a apetência para a reflexão e diversão que se faz presente em alguns temas de tom mais descontraído e festivo. O lançamento de alguns projectos experimentais como a Mixtape Ilegal Promo, que atingiu 10000 downloads em menos de 2 semanas, e o projecto LIVE ON STAGE que contabilizou 15000 downloads em no mesmo tempo, confirma o seu estatuto como um dos artistas independentes mais ouvidos. THE HYPERS lançaram a sua demo “Coming Out Loud” em 2007. No ano seguinte participam num festival organizado pela MTV Portugal e gravam a sua segunda demo “Wreckage Of A Riot”. Em 2010 tocam na final do Festival Termómetro Unplugged e editam o seu primeiro EP “The Hypers” em 2011. O seu mais recente single “You’re Never Too Old To Rock” conta com a participação de Selma Uamusse (Wraygunn, Soulbizness, Cacique 97). THE STONEWOLF BAND, banda liderada por Ric Stone Wolf (músico e compositor de Singapura), nasce em 2011. São o resultado de uma mistura de géneros, influências e ideias. Inspirados pelo rock, blues, country, surf rock, reggae, entre outros, definem-se pela sua atitude positiva e pelo seu amor a música. VIRALATA são uma nova banda punk rock em português com uma sonoridade punk rock old school, melódico mas ao mesmo tempo agressivo, com garra e energia, pautado por letras mordazes e sarcásticas, por uma mensagem interventiva e directa, abordando problemas sociais e políticos. Por outro lado os Viralata são pura diversão o que os leva a ter temas divertidos, em ritmos punk/ ska para meter toda a gente aos saltos. Os Viralata reúnem todos os ingredientes para uma grande performance de punk rock na língua de Camões, com refrões e melodias contagiantes. » FESTIVAL MUSA CASCAIS 2012 – Dias 22 e 23 de Junho de 2012 Local: Junto à Praia de Carcavelos, Carcavelos Horário: Abertura de Portas: 18h | Início do espectáculo: 18h Bilheteira: Bilhete diário: € 10 | Passe MUSA 2 dias dias: € 12 | Passe Camping MUSA: € 17 Bilhetes à venda: Ticketline, no local do evento e nos locais habituais INFORMAÇÕES/RESERVAS: Liga 1820 | www.ticketline.pt DIA 22 DE JUNHO TURBULENCE (backed by Dub Akom) (REGGAE - JAMAICA) ETANA (backed by Dub Akom) (REGGAE - JAMAICA) PROTOJE (backed by Dub Akom) (REGGAE - JAMAICA) JIMMY P VIRALATA HELLO ATLANTIC DIA 23 DE JUNHO IJAHMAN LEVI (REGGAE - JAMAICA) GYPTIAN (REGGAE - JAMAICA) MO’KALAMITY & The Wizards (REGGAE – CABO VERDE) CHAPA DUX THE STONEWOLF BAND THE HYPERS»